Embaixada da Geórgia em Brasília promove exposição sobre o alfabeto georgiano

 

A Embaixada da Georgia no Brasil, representada pelo Embaixador David Solomonia, realizou um evento ,ontem 24 de maio, no CCBB em Brasília. O evento foi a abertura da exposição do alfabeto georgiano, que é um dos alfabetos mais antigos, e ainda usado pela população do país e pelos georgianos que vivem em outros países. A abertura contou com a presença de diplomatas, embaixadores, jornalistas,sociedade civil e foi aberto ao público em geral.Na ocasião também aconteceu uma degustação de vinhos do país.

Entre a Turquia e a Rússia, a Geórgia tem uma língua e um alfabeto próprios .

alfabeto georgiano é o único alfabeto atualmente usado para escrever a língua georgiana e outras línguas do Cáucaso.

O alfabeto moderno tem trinta e três letras. Originalmente eram mais, mas algumas letras (sombreadas a roxo nas tabelas abaixo) caíram em desuso.

O alfabeto georgiano foi criado pelo rei georgiano Farnavaz I do Reino da Ibéria em 284 a.C.

Mkhedruli letras

O alfabeto georgiano não distingue entre letras maiúsculas e minúsculas. Contudo, versões modernas de “maiúsculas” das letras (análogas às letras de imprensa) foram inventadas e são usadas em certas ocasiões, tais como em títulos de jornais. Estas letras “maiúsculas”, ao contrário do convencional, alinham-se todas ao mesmo nível e têm a mesma altura.

O antigo alfabeto “asomtavruli” já não é usado na escrita moderna, mas ainda se pode encontrar em várias inscrições em monumentos antigos e textos litúrgicos.

Fotografia: Cidália Varela

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.