- Publicidade -

Raul de Taunay

10 POSTS0 COMENTÁRIOS
https://brasiliainfoco.com
Diplomata de carreira do Ministério das Relações Exteriores, Embaixador e Escritor,serviu o Brasil em várias missões pelo Mundo. O plenário da Academia Brasileira de Letras outorgou-lhe em dezembro de 2005, por unanimidade, a Medalha João Ribeiro.

Artigo de opinião: Raul de Taunay

Neste domingo resolvi escrever o óbvio: o mundo parou. Numa virada de página, num piscar de olhos, num estalo de dedos, a vida mudou...

Coluna: Confira as poesias do Embaixador brasileiro Raul de Taunay

A CPI DOS VERSOS Estas mãos trago-as vazias, não tendo posses, nem rouparias. Em minhas mãos hão há ouro nem prata, nem mesmo as bravatas que o poder...

Coluna: Poemas- Por Raul de Taunay

ALVOROÇO   Eu tenho em mim desertos Que, pelas noites, se debruçam frios, Como lâminas, a fatiar-me o peito.   E levo em mim agravos abertos A endoidecer o poema de...

Coluna : Andrajos -Por Raul de Taunay

ANDRAJOS É primavera, tempo de se admirar tesouros sem preço, Pelos caminhos da natureza, os mais belos adereços. A mesma folha caída que no chão é tapete...

Coluna-Homem-por Raul de Taunay

HOMEM   Sou uma célula nervosa Um glóbulo em sangramento; Por fora, carne garbosa, Por dentro, luz e tormento.   Em verdade, sou a verdade, O anjo enviado em piedade; De mentira, sou...

Coluna : Obstinado – Raul de Taunay

OBSTINADO Encontro em mim o que não quero, Chuva, vento, tosse, obrigações; Mesmo em meio aos tubarões, Nada do que anseio a mais espero. Floresce a vida por entre...

Coluna: Livro da Vida .Poema de Raul de Taunay

LIVRO DA VIDA   Sinto-me no limiar da eternidade, Onde se julga a cláusula dos tempos, Respiro flores com décadas ao vento E me desvendo no portal da claridade.   Encontro...

Coluna : Livro da Vida

LIVRO DA VIDA   Sinto-me no limiar da eternidade, Onde se julga a cláusula dos tempos, Respiro flores com décadas ao vento E me desvendo no portal da claridade.   Encontro...

Coluna: Artesão

Meu poema respira quando pressente nascer, Ele exala, expira, se estira, como se fosse morrer; Manuseia e finca na folha sua razão de irromper, Desnuda o fascínio...

Coluna: A TRISTEZA DA PARTIDA

Eu preciso deste instante Para proclamar ao mundo A tristeza da partida. Nesta hora penetrante, Em que o peito moribundo Geme enfim sua cantiga. Mesmo na dor incessante, Chega o momento...

AUTORES

134 POSTS0 COMENTÁRIOS
2192 POSTS4 COMENTÁRIOS
6 POSTS0 COMENTÁRIOS
2 POSTS0 COMENTÁRIOS
6 POSTS0 COMENTÁRIOS
1 POSTS0 COMENTÁRIOS
3 POSTS0 COMENTÁRIOS
- Advertisment -

Mais Visualizados