Parcela do BRICS no PIB mundial supera com folga o G7

A parcela dos países do BRICS no PIB mundial em termos de paridade de poder de compra atingiu um recorde de 35,7% em 2023, ao mesmo tempo a parcela das economias do G7 diminuiu para 29%, de acordo com os cálculos feitos pela Sputnik a partir dos dados do Banco Mundial.

O BRICS agora engloba dez países: Brasil, Rússia, Índia, China, África do Sul, bem como Egito, Etiópia, Irã, Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos. O grupo dos sete, o G7, inclui os EUA, Japão, Alemanha, França, Reino Unido, Canadá e Itália.

De acordo com os dados do ano passado, a parcela dos países do BRICS representou um recorde de 35,7% da economia mundial, aumentando 0,6 ponto percentual ao longo do ano. Desde a sua criação em 2006 a cota parte deste grupo de países na economia global aumentou 10,2 pontos percentuais.

Ao mesmo tempo, a participação do G7 foi de 29%, o valor mínimo dos últimos 30 anos. Em um ano, o grupo dos sete perdeu 0,4%. A cota parte do G7 na economia mundial diminuiu 9,7% desde 2006.

Os restantes países representaram 35,3% da produção mundial no ano passado – a sua cota tem se mantido geralmente estável desde 1990, oscilando dentro de um ponto percentual.

Compartilhe

Fabiana Ceyhan

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.