Entrevista com o Embaixador de Honduras Jaime Guell Bogran

O país das praias paradisíacas, quinto maior produtor de café do mundo, ocupa também grande destaque na indústria textil mundial ,banhado por dois oceanos o Atlântico e o Pacífico, localizado na América Central a apenas 2 horas de vôo de Miami, Honduras tem uma economia em crescimento , grande exportador de produtos agrícolas que pretende expandir o comércio bilateral com o Mercosul e com o Brasil. O Embaixador conversou pessoalmente como Brasilia in Foco e nos contou também que o avião presidencial do país foi comprado da Embraer(empresa brasileira que fabrica e vende aviões).Entre tantas  peculiaridades,descobrimos também que o país conserva  muito bem cidades do século 17 e que em algumas regiões como a Ilha da baia a língua oficial é o  Inglês.É um país que vale a pena conhecer ! Segue abaixo a entrevista com o  Embaixador do país em Brasília.

 

Entrevista:

  • Prezado Senhor por Gentileza informe aos nossos leitores sobre projetos de cooperação entre os Governos do Brasil e Honduras

Honduras mantem uma relação de cooperação técnica muito dinâmica com o Brasil, desde a assinatura do Acordo Básico de Cooperação Técnica e Científica, promulgada em 1976, foram realizadas seis reuniões bilaterais de cooperação técnica. A última realizada nos dias 14 ao 18 de novembro de 2016, no Ministério das Relações Exteriores e Cooperação Internacional, na cidade de Tegucigalpa, Honduras. O encontro teve como objetivo avaliar o Programa de Cooperação anterior, bem como negociar e aprovar tecnicamente os projetos que formarão o Programa de Cooperação Bilateral 2016 – 2018.

 

O projeto de hemoderivados é destacado no programa de cooperação 2013-2016, que tem o trabalhado de fortalecer a cadeia de sangue e produtos sanguíneos. Também destaca-se o sucesso do projeto de implantação de bancos de leite humano em Honduras, que resultou na implementação de dois bancos de leite, um em San Pedro Sula e outro em Tegucigalpa, e uma segunda fase foi aprovada em o atual programa 2016-2018, com a criação de 4 novos bancos de leite em Honduras, cujo equipamento também será doado pelo governo brasileiro.

Os projetos que compõem o atual portfólio bilateral mostram o grande interesse das instituições de ambos os países em compartilhar as melhores práticas de políticas de desenvolvimento bem-sucedidas em áreas prioritárias. A cooperação Sul-Sul desenvolvida pelo governo brasileiro baseia-se nos princípios de horizontalidade e co-responsabilidade que permitiram o fortalecimento do capital humano, que é o centro da estratégia para o desenvolvimento das políticas públicas no país.

 

Atualmente tem 6 novos projetos aprovados no marco do Programa de Cooperação 2013 – 2016:

 

  • Saúde:

 

  1. Apoio na implementação dos Bancos de Leite Humana.
  2. Desenvolvimento de Capacidades na gestão da Saúde Mental em Honduras.

 

  • Desenvolvimento Social:

 

  1. Fortalecimento no monitoramento e avaliação das Políticas Públicas Sociais.

 

  • Gestão Forestal:

 

  1. Melhores Práticas em Gestão Forestal Sustentável.

 

  • Erradicação do trabalho infantil:

 

  1. Práticas de prevenção e remoção de trabalho infantil em Honduras

 

  • Agricultura:

 

  1. Formação em metodologias para a geração e transferência de tecnologias agrícolas

 

Honduras não é só um receptor de cooperação, também tem muitas boas práticas e boas experiências para compartir com outros países. Possui um programa de fornecimento de Cooperação, denominada “Compartilhando Honduras”, que reúne as boas experiências e práticas de desenvolvimento de Honduras. Tem 32 boas práticas em 5 setores prioritários:

1.-Desenvolvimento econômico e social

  1. Desenvolvimento produtivo e agroindustrial

3.-Saúde

  1. Educação

5.-Migração

 

O Programa é um trabalho liderado pela Subsecretaria de Cooperação e Promoção Internacional, através da Divisão de Cooperação Bilateral e Cooperação Sul-Sul e Trilateral, em coordenação com as diversas instituições e atores oferentes hondurenhos.

 

Honduras dá prioridade geográfica à América Central, Caribe, América do Sul e África. Do ponto de vista político, o papel da Cooperação Sul-Sul tornou-se em um alvo principal da Diplomacia hondurenha. Como um instrumento para promover a projeção de Honduras no exterior como um estado democrático, solidário e líder.

Honduras já tem compartido suas boas experiências com Panamá, El Salvador, Equador, Peru, Colômbia e o Paraguai.

 

  • Quais são os produtos que Honduras Importa do brasil e o que o Brasil importa de Honduras?

 

Honduras importa de Brasil principalmente maquinaria agrícola, papel e artículos de papel, produtos farmacêuticos, cerâmica, ferro e aço, plástico, frutos secos. As importações totalizaram em 2017, US$ 31,937,276.

Brasil importa de Honduras alumínio, partes e repostos elétricos, peças de automóveis, roupas, moveis, tabaco e charutos, óleos vegetais. As importações em 2017 de Brasil para Honduras totalizaram US$ 8,142,412.

 

  • Qual a relação de Honduras com o Mercosul em relação a facilidade de exportação e importação de produtos.

 

Infelizmente Honduras não tem ainda um acordo comercial com Brasil que permita manter e dinamizar as relações e atividades comerciais entre ambos países. Há alguns anos foi discutida a possibilidade de assinar um Acordo Comercial entre o Mercado Comum do Sul (MERCOSUR) e seus Estados Parte com o Sistema de Integração Centraomericano (SICA).

 

Atualmente os produtos hondurenhos tem muita dificuldade para entrar no mercado brasileiro isto devido ao formato fechado que tem a economia brasileira, a quantidade de impostos e taxas que os produtos têm que pagar para ingressar ao pais são muito altos acrescentando o preço final dos produtos, porem muitos investidores decidem ir para outros países da américa do sul.

 

Porem já o Governo Brasileiro tem expressado este ano o interesse que existe de assinar um acordo comercial com América Central para os próximos anos com o objetivo de incrementar as exportações e o intercâmbio comercial entre ambos países.

 

  • Existe algum projeto para estudantes Brasileiros estudarem em Honduras e vice –Versa

 

 

Os estudantes hondurenhos têm acesso a dois programas que oferecem bolsas de estudo para estudar no Brasil:

 

  • Bolsas de Estudo PEC – G (Programa de Estudantes – Acordo de Graduação):

Programa tradicional do governo brasileiro, com mais de 50 anos de existência promove o acesso a uma graduação, focado principalmente em países em desenvolvimento, principalmente África e América Latina. As Bolsas PEC – G são coordenadas por o Ministério das Relações Exteriores (MRE), Divisão de Temas Educacionais (DCE) e o Ministério da Educação.

 

  • Bolsas de Estudo Brasil PAEC OEA – GCUB (Programa de Alianças de Educação e Treinamento) (Mestrado e Doutorado)

 

Um dos principais objetivos do programa de bolsas de estudo da OEA-GCUB é promover a internacionalização e mobilização de estudantes das Américas para as diferentes regiões do Brasil. Portanto, o programa é projetado para favorecer a distribuição equitativa dos estudantes nas instituições brasileiras participantes.

Entre alguns dos benefícios concedidos pelo OAS-GCUB são:

  1. Isenção do pagamento da matrícula, taxas mensais ou anuidades acadêmicas referentes ao programa de estudo para o qual você foi selecionado na universidade receptora.
  2. Bolsa de estudo mensal.

 

 

Alguns dos custos adicionais não cobertos pela bolsa são: Bilhetes aéreos ou bilhetes de ônibus de e para o aeroporto; Custo do processamento de vistos; Custo do processamento do Registro de Contribuintes Individuais (CPF); Custo de processamento para o RNE (Registro Nacional de Estrangeiros); Custo da emissão de títulos, certificados e certificados acadêmicos; Custos adicionais de subsistência;

Seguro médico; e Livros e materiais de estudo.

 

Atualmente temos 89 estudantes hondurenhos estudando e se beneficiando com a Bolsa da OEA, e 87 com a Bolsa PEC – g DO Governo Brasileiro.

 

  • Por Favor use espaço para fazer suas considerações sobre as relações bilaterais entre os dois países e quais são os planos para o futuro das relações.

(Foto:Diplomatas da Embaixada e Embaixador)

Para Honduras e uma prioridade lograr assinar um acordo comercial com o Mercosul.

 

BRIEF DE HONDURAS

Honduras é atualmente reconhecida internacionalmente por ter um clima favorável ao investimento. No mais recente Relatório “Doing Business” publicado pelo Banco Mundial, Honduras foi um dos países mais atraentes para investir na América Latina.

Honduras escalou 12 lugares no Índice de Competitividade Global 2015-2016 do Fórum Econômico Mundial, mais do que qualquer outro país da América Latina, demonstrando sua forte política econômica e estabilidade legal e social. A Moody’s Rating Agency melhorou a classificação de crédito do país de B + / positivo para o BB-Estable /, o mais alto da história de Honduras.

Honduras caracterizou-se por uma economia aberta à internacionalização, o que se reflete tanto no seu quadro regulatório que promove o investimento estrangeiro, como também nos diferentes acordos de comércio livre e outros acordos comerciais assinados com uma ampla gama de países.

Em termos de mão-de-obra qualificada, 50% são jovens e produtivos, Honduras é o principal líder centro-americano no fornecimento de recursos humanos capazes de trabalhar em ambientes inovadores e exigir um grande desenvolvimento de habilidades.

Honduras tem acordos comerciais com mais de 40 países ao redor do mundo que lhe permitem acessar cerca de 1,5 bilhão de consumidores, entre os quais podemos mencionar Colômbia, Taiwan, Chile, União Europeia, Panamá, México, DR-CAFTA, composto por: Estados Unidos, Costa Rica, El Salvador, Nicarágua, Guatemala e República Dominicana. Também estamos negociando com países da EFTA, Belize, República da Coréia, Equador, Peru e Trinidad e Tobago e em revisão legal com o Canadá.

Entre os principais parceiros comerciais de Honduras estão os Estados Unidos, seguidos da Alemanha, dos países centro-americanos, El Salvador, Guatemala, Nicarágua e Costa Rica, Holanda, México, Bélgica, Canadá, Itália, França, Reino Unido e outros países. A União Europeia e os países asiáticos, como a China, a Coréia, a Índia, o Japão, entre outros.

 

Os principais produtos de exportação de Honduras são café, banana, camarão, dendê, açúcar, legumes, melões e melancias, abacaxis, arneses para veículos, charutos, bananas, ouro, ferro e suas manufaturas, lagosta e vestuário. Os principais parceiros comerciais são os Estados Unidos 36%, Alemanha 8,7%, El Salvador 8,5%, Guatemala 6%, Nicarágua 5,6%, Holanda 4,1% (2015).

Em termos de importações, observou-se uma diminuição em relação ao ano de 2016, com os principais bens comercializados em bens de consumo, matérias-primas, combustíveis, materiais de construção e bens de capital. Em 2016, seus principais parceiros foram os Estados Unidos 35,2%, China 13,6%, Guatemala 9,2%, México 6,6% e El Salvador 5,1%.

 

Turismo em Honduras

Os principais e mais importantes destinos turísticos de Honduras são:

  1. Ilhas da Bahía (Roatán, Utila e Guanaja)
  2. Copán Ruinas
Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.