Embraer: Pronunciamento esclarece rumores sobre a produção de nova aeronave maior

Recentemente após reportagens como as do Wall Street Journal, Forbes e o Brazil Journal, rumores de que a Embraer estaria planejando uma nova aeronave “narrow-body” que competiria diretamente com o sucessor do 737 MAX, e o A320 passaram a crescer cada vez mais.

O Wall Street Journal, por exemplo, citou fontes próximas à empresa, e o Brazil Journal anunciou que mais detalhes seriam revelados pela própria Embraer em 2025, mencionando também que o CEO Francisco Gomes Neto havia manifestado interesse em um projeto desse tipo.

No evento anual de mídia da Embraer em São José dos Campos que ocorreu neste mês de junho, o CEO da Embraer ao ser perguntado sobre o assunto respondeu:

“Estamos sempre estudando oportunidades de novos produtos, não só na área comercial, mas também em todas as demais unidades de negócios. Podemos fabricar produtos diferentes, mas neste momento não temos planos concretos para fabricar um avião maior.”

Um eventual novo avião de maior porte seria interessante por ser mais rentável e possuir uma demanda maior, de acordo com declarações recentes do CEO ao Brazil Journal.

Apesar do novo narrowbody estar distante ou talvez nem se concretizar, a Embraer foi rápida em destacar as vantagens que ele oferece no mercado de aviação comercial atual.

Com a Airbus e a Boeing lutando para cumprir suas metas de produção e com atrasos de anos para novos pedidos de aeronaves, a agilidade da Embraer é uma proposta atraente.

“Devido às restrições na entrega de grandes aeronaves de fuselagem estreita no futuro, somos uma grande oportunidade e uma excelente solução para as companhias aéreas adicionarem capacidade mais rapidamente às suas frotas.” Destacou o CEO Francisco Gomes.

Compartilhe

Fabiana Ceyhan

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.