Embaixador da Líbia no Brasil convoca coletiva de imprensa e nega tráfico de seres humanos no país

 

Embaixada da Nigéria em Trípoli:

A embaixada da Nigéria em Trípoli emitiu um documento que foi traduzido para o português com as seguintes alegações:

O Embaixador da Líbia no Brasil   Khaled Dahan, convocou alguns Jornalistas de Brasília ligados á assuntos internacionais, para afirmar que as alegações de tráfico de seres humanos na Líbia, são tendenciosas e infundadas .

“Estamos plenamente confiantes no jornalismo e na mídia e na sua seriedade em transmitir e esclarecer este assunto de acordo com as elucidações feitas hoje e com os documentos emitidos pelo escritório de informação do Ministério de Relações Exteriores do Estado da Líbia.”

Sobre as Alegações:

A imprensa internacional divulgou vídeos, fotos e matérias sobre seres humanos que estariam sendo escravizados na Líbia.

Em resposta, o governo da Líbia emitiu um comunicado á imprensa e o Brasilia in Foco teve pleno acesso  as seguintes informações:

“O Governo de Reconciliação Nacional ” solicitou as autoridades competentes á tarefa de investigar o incidente e descobrir os fatos e ainda informar a opinião pública local e internacional o resultado da investigação .Com base dos ensinamentos do islã e nas tradições do povo Líbio, e também em conformidade com as convenções e cartas internacionais que patrocinam os direitos humanos, rejeitamos  qualquer prática que humilhe ou degrade a dignidade humana, violando seus direitos em qualquer lugar do mundo.”

 

O Embaixador e porta voz do governo Líbio no Brasil,  afirma que seu país está em passando por problemas desde a queda do ex Líder que governou por  42 anos, o país está sob o comando de um Governo de Reconciliação Nacional, liderado pelas Nações Unidas e está se preparando para obter a sua soberania nacional no ano de 2018 ,quando acontecerão eleições, sendo assim ele acredita que há uma tentativa real de desestabilizar novamente o país com a fabricação de notícias tendenciosas e inverídicas.

Sobre a Líbia e a Africa:

“O povo Líbio pertence a Àfrica, o povo líbio  sempre apoiou parcerias de investimento em países africanos, e tem mais de 10 milhões de dólares investidos  nesses países . Não precisamos de lições de ètica ,mas de  apoio ás nossas instituições de segurança para que elas   possam controlar o território Líbio e evitar que bandos de criminosos se envolvam em atividades ilegais.”

O Embaixador nega as alegações de tráfico de seres humanos, afirma a  parceria  de seu país com os países africanos , ressalta a riqueza natural  como o exemplo do   GASEODUTO MELITA  que fornece gás natural á Itália oriundo da Líbia, e também enfatiza a excelente relação com toda a irmandade africana baseada em respeito mútuo e solidariedade.

 

A Líbia inclusive, é um dos pontos de passagem para africanos que emigram para a Europa  em busca de trabalho e  qualidade de vida, o próprio país  solicita o lançamento de uma campanha internacional para travar este fenômeno atráves de uma segurança e apoio  imediato para o controle  de  suas fronteiras .

Riqueza ,Petróleo, Especulação e |Intervenção:

A Líbia produz milhões de barris de petróleo por dia 

A maior cidade e capital, Trípoli, é o lar de 1,7 milhão dos 6,4 milhões de habitantes da Líbia. Em 2012 o país tinha o segundo melhor índice de desenvolvimento humano (IDH) da África e o quinto maior produto interno bruto (PIB) (em paridade do poder de compraper capita do continente (em 2009), atrás da Guiné Equatorial, da República das Seicheles, do Gabão e do Botsuana. A Líbia tem as décimas maiores reservas comprovadas de petróleo do mundo e a 17.ª maior produção petrolífera.

Em 2011, após uma guerra civil e uma intervenção militar internacional liderada pela Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), houve o derrube e a morte do ex-líder do país, Muamar Gadafi, e o colapso de seu governo de mais de quatro décadas de duração. Como resultado, a Líbia está passando por um processo de reconstrução política e é regida sob uma constituição provisória elaborada pelo Conselho Nacional de Transição (CNT).

 

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.