União Europeia no Brasil participou de seminário internacional sobre a parceria UE- Brasil para uma ordem global

Brasília

União Europeia no Brasil  participou de seminário internacional sobre a parceria UE-
Brasil para uma ordem global

A Delegação da União Europeia no Brasil organizou o seminário internacional "
Encontrando o Desafio: Europa Brasil e a Governança Global"  hoje no  dia 6 de

O seminário teve  como tema principal a cooperação da União Europeia com o Brasil no
fortalecimento do multilateralismo, com especial enfoque na promoção da paz e da
segurança internacional, no desenvolvimento e prosperidade, nas mudanças climáticas e
defesa do ambiente. Através deste evento, a União Europeia pretende proporcionar um
debate sobre potenciais sinergias entre ações diplomáticas implementadas pela União
Europeia e o Brasil na promoção da cooperação multilateral nas suas diferentes
dimensões.
Qual é o significado da parceria estratégica Brasil-UE em sua agenda multilateral?
Como podem a União Europeia e o Brasil promover a gestão multilateral dos desafios
globais em diversas áreas como o comércio, o desenvolvimento sustentável e a
manutenção da paz? Quais são as formas alternativas e inovadoras da governança
global? A conclusão do acordo UE-Mercosul constituirá uma importante mensagem à
comunidade internacional da rejeição das tendências de protecionismo e nacionalismo?
Como replicar o modelo de negociação obtido no maior acordo de multilateralismo
sobre o clima do século XXI, o Tratado de Paris?
Para debater estas questões, o seminário internacional contou  com a presença do
embaixador da União Europeia no Brasil, João Gomes Cravinho, do Presidente da
Fundação Alexandre de Gusmão (FUNAG), embaixador Moreira Lima,
derepresentantes de ministérios, instituições públicas, universidades e organizações da
sociedade civil. Também participamestudiosos da Itália, Alemanha, Argentina, Estados
Unidos e Brasil que apresentaram  as suas visões em relação à forma como a União
Europeia e o Brasil podem participar nos fóruns multilaterais.

Enquadramento
A União Europeia e o Brasil são aliados na defesa do multilateralismo e dos valores
democráticos, compartilhando o compromisso de fortalecerem o multilateralismo como
o mecanismo mais eficaz para viabilizar a paz e a cooperação em nível mundial. É
possível identificar uma coincidência de valores tanto global quanto regional, como a
defesa da democracia e dos direitos humanos, defesa da paz, foco no multilateralismo,
apoio às iniciativas de uma governança regional, estabilidade regional, luta contra a
pobreza.
"Hoje a União Europeia está consolidada como um ator global que projeta os seus
princípios e valores no mundo e promove a paz e a estabilidade através do
multilateralismo. O Brasil é um dos principais parceiros e interlocutores da União
Europeia na América Latina e há um amplo espaço para melhorar a compreensão a
respeito da União Europeia, o seu papel no cenário mundial assim como aumentar o

2

conhecimento sobre os objetivos da sua política externa" afirma o embaixador da União
Europeia no Brasil, João Gomes Cravinho.
A declaração conjunta UE-Brasil de 2007 que fundou a Parceria estratégica entre o
Brasil e a União Europeia " foi clara ao detalhar a visão compartilhada de
multilateralismo, que deve combinar de forma harmoniosa as dimensões dos vários
níveis (regional, inter-regional e global) e não se concentrar apenas no livre comércio
mas também no diálogo político, nas respostas comuns aos desafios globais, metas do
Milênio, cooperação econômica e diálogos bilaterais" acrescenta o Embaixador.

Conheça os participantes:

Doutorado pela Universidade de Oxford, e com Licenciatura e Mestrado na
London School of Economics, João Gomes Cravinho é atualmente Embaixador da
União Européia em Brasília, depois de ter sido Embaixador da União Européia na Índia
entre dezembro de 2011 e junho de 2015. Entre março de 2005 e junho de 2011, João
Gomes Cravinho foi Secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação
no Governo de Portugal, cargo equivalente a vice-ministro das relações exteriores,
tendo sido responsável por numerosos aspectos da política externa portuguesa. Antes de
2005 foi Professor do curso de Relações Internacionais na Faculdade de Economia da
Universidade de Coimbra, e Professor Convidado no ISCTE e na Faculdade de Direito
da Universidade Nova de Lisboa. Foi consultor do Instituto de Defesa Nacional, da
Fundação Calouste Gulbenkian, da Comissão Europeia e do Banco Mundial. É autor de
um livro sobre teoria das relações internacionais chamado Visões do Mundo, e publicou
numerosos artigos em revistas especializadas e em jornais.

Nathalie Tocci é diretora do Istituto Affari Internazionali, professora honorária
da Universidade de Tübingen e Assessora Especial da UE HRVP Federica Mogherini,
em nome de quem escreveu a Estratégia Global Européia e está agora a trabalhar na sua
implementação, nomeadamente no domínio da segurança e defesa. Ocupava cargos de
pesquisa no Centro de Estudos Políticos Europeus (Bruxelas), na Academia
Transatlântica (Washington) e o Centro Robert Schuman de Estudos Avançados
(Florença). Os seus interesses de investigação incluem política externa européia,
resolução de conflitos, Oriente Médio e Mediterrâneo.

3

Leonardo Paz é cientista político, analista qualitativo de inteligência no Núcleo
de Prospecção e Inteligência Internacional (NPII) da Fundação Getulio Vargas e
professor no Departamento de Relações Internacionais na faculdade Ibmec. Além disso,
já trabalhou como coordenador de estudos e debates do Centro Brasileiro de Relações
Internacionais (Cebri) e também junto à sessão de assuntos civis do Centro Conjunto de
Operações de Paz do Brasil (Ccopab) e foi coordenador executivo do Grupo de Análise
de Prevenção de Conflitos Internacionais (GAPCon/Ucam). Tem graduação em ciências
sociais pela Universidade Federal Fluminense (UFF), mestrado em ciência política, e
doutorado pelo Instituto de Economia da Universidade Federal do Rio de Janeiro
(UFRJ).

Salvador Raza é especialista em desenvolvimento de modelos de governança
institucional e corporativa. Possui um pós-doutorado na área de Projeto de Força, é
doutor (D. Sc) nas áreas de interseção das Relações Internacionais, Tecnologia e
Segurança na COPPE/UFRJ pelo programa de Engenharia de Produção. Também é
mestre pelo King´s College da Universidade de Londres, graduado em Ciências Navais
e Engenharia, cursou Direito e Análise de Sistemas e possui cursos de especialização
em planejamento estratégico no Brasil e na Inglaterra. Desenvolve cursos na área de
economia de defesa, modelagem de informações, gestão do conhecimento, e gestão de
instituições de ensino superior. Presta consultoria para governos e empresas, além de
participar do conselho editorial de diversas revistas e de contribui com diversas
emissoras de televisão e jornais no Brasil e exterior.

Eleonora Poli é pesquisadora do Instituto de Relações Internacionais (IAI),
onde trabalha em projetos de pesquisa que lidam com as políticas econômicas da UE, as
implicações políticas e institucionais da crise da zona do euro, e o papel europeu na
resolução de conflitos regionais. Eleonora é doutora em Economia Política Internacional
pelo Departamento de Política Internacional da City University de Londres. Ela é
pesquisadora de doutorado no City Policy Economy Research Center (CityPerc) e
também trabalhou como pesquisadora na IDS Thomson Reuters em Londres. Os seus
principais interesses de investigação residem na área da economia política internacional,

4

da política da concorrência, das crises econômicas e financeiras, da globalização e da
governança européia.

Anna Ayuso possui doutorado em Direito Internacional e Mestrado em Estudos
Europeus pela Universidade Autônoma de Barcelona (UAB). Pesquisadora Sênior de
Assuntos de América Latina no CIDOB desde 2002 e ex-coordenadora da Área de
Cooperação Internacional na mesma instituição (1995-2001). Professora Associada na
UAB, docente em Direito Internacional e Professora Visitante no Institut Barcelona
d'Estudis Internacionals (IBEI). Membro do grupo de pesquisa DIE-EURJAIDI (2014-
2016) anexado ao Departamento de Direito Internacional da UAB. Membro do
Conselho Editorial da Revista CIDOB d 'Afers Internacionals e do Anuário CIDOB de
Relações Internacionais; membro do Conselho Consultivo da Revista Internacional
Mural da Universidade do Estado do Rio de Janeiro e do Comillas Journal of
International Relations; Ela visitou como pesquisadora a Fundação Getulio Vargas no
Rio de Janeiro; Colegio de México; "Escola de Estudos Orientais e Africanos" em
Londres; o "Instituto de Estudos de Desenvolvimento" da Universidade de Sussex; e o
"Deutsches Institut für Entwicklungspolitik" na Alemanha.

Lia Valls Pereira é Doutora pelo Instituto de Economia da Universidade
Federal do Rio de Janeiro, Master of Philosophy in Economics (Cambridge University),
Curso de Mestrado (conclusão dos créditos sem defesa da dissertação de mestrado) da
Escola de Pós Graduação de Economia da Fundação Getulio Vargas e Bacharel em
Ciências Econômicas pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro.
Atualmente coordena os Estudos do Comércio Exterior do Instituto Brasileiro de
Economia da Fundação Getulio Vargas e leciona como Professora Adjunta da
Faculdade de Ciências Econômicas da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Áreas
de pesquisa: política de comércio exterior; relações econômicas internacionais, acordos
e regulações internacionais comerciais.

Maria Priscila Ramos é um associado de pesquisa com o Centre d'Etudes
Prospectives et d'Informations Internationales – CEPII. Possui doutorado em Economia
pelo Instituto Nacional de Agronomia da França em Paris (AgroParisTech, INAP-G).

5

Ela é pesquisadora do CONICET (Conselho Nacional de Pesquisa da Argentina) e
professora de Economia Internacional na Universidade de Buenos Aires (UBA). Ela se
juntou ao CEPII para trabalhar na equipe MIRAGE e, em particular, no acordo de livre
comércio entre os países do MERCOSUL e a UE, na área de alimentos e agricultura.

Paulo Velasco é Doutor em Ciência Política pelo Instituto de Estudos Sociais e
Políticos da UERJ (IESP-UERJ), possui mestrado em Relações Internacionais pelo
Instituto de Relações Internacionais da Pontifícia Universidade Católica do Rio de
Janeiro (IRI – PUC Rio) e graduação em Direito pela Universidade do Estado do Rio de
Janeiro. Atualmente é professor adjunto de Política Internacional do Departamento de
Relações Internacionais da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Atua
também como professor do Programa de Pós-graduação em Relações Internacionais
(PPGRI) da UERJ. Tem experiência na área de Ciência Política, com ênfase em
Relações Internacionais, atuando principalmente nos seguintes temas: Política Externa
Brasileira, Mercosul e ONU.

Michael Mehling é vice-diretor do Centro de Pesquisa em Políticas de Energia
e Meio Ambiente (CEEPR) no Massachusetts Institute of Technology (MIT),
pesquisador da Iniciativa de Energia MIT (MITei) e Professor Visitante da
Universidade de Strathclyde. Ele traz mais de uma década de experiência em trabalhos
de política energética e ambiental com agências governamentais, empresas privadas e
organizações da sociedade civil na América do Norte, Europa e no mundo em
desenvolvimento. Seu trabalho recente centrou-se no preço do carbono e em outras
políticas para enfrentar os impactos ambientais do sistema energético. Nos últimos anos,
os interesses de pesquisa incluíram a política energética e climática da União Européia,
bem como os efeitos da transição energética alemã, ou "Energiewende". Michael possui
diploma em Direito na Universidade de Constança, uma pós-graduação com diploma da
Universidade de Helsinki, e é advogado admitido na barra alemã.

Carolina Boniatti Pavese Coordenadora e professora do curso de Graduação
em Relações Internacionais, PUC-MG, Poços de Caldas. PhD em Relações
Internacionais pela London School of Economics (2014). Mestre em Relações

6

Internacionais pelo Programa San Tiago Dantas, UNESP-UNICAMP- PUC-SP (2007) e
especialista em Estudos Europeus pelo Colégio Europeu de Parma, Italia (2007). Possui
graduação em Relações Internacionais pela Universidade do Sul de Santa Catarina
(2001), graduação em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Santa Catarina
(2003). Especialista na área de Relações Internacionais, com ênfase em cooperação
internacional e organizações internacionais, atuando principalmente nos seguintes
temas: Relações Brasil-União Européia, Multilateralismo, Direitos Humanos e
Mudanças Climáticas.

Eve Bratman é professora no Departamento de Terra e Meio Ambiente da
Franklin & Marshall College. Anteriormente, ela era professora da Escola de Serviço
Internacional da Universidade Americana (SIS). Ela é uma ecologista política com
treinamento interdisciplinar nas relações internacionais. Sua pesquisa primária envolve
políticas de desenvolvimento sustentável na Amazônia brasileira, concentrando-se nos
vínculos entre política ambiental, infra-estrutura e direitos humanos.

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.