Embaixada da Itália em Brasília lança a Semana Embaixada Verde

Embaixada da Itália em Brasília lança a Semana Embaixada Verde

O evento, que vai de 30 de março a 02 de abril, traz cases e profissionais que são referências mundiais na coleta seletiva de resíduos.

Ainda era início dos anos 80, quando a Itália começou a estimular sua população a separar resíduos sólidos. Os primeiros passos foram dados com a coleta nas ruas, em contenedores. Pouco tempo depois, nos anos 90, a prática passou para o modelo domiciliar, recolhendo os resíduos de porta em porta. Pioneira neste movimento, que em 2006 passou a ser previsto por lei, a Itália, atualmente, colhe os frutos, graças a um trabalho de conscientização e comprometimento de suas instituições e da população, que a coloca na posição de país líder do movimento Lixo Zero ao nível global.

Só no segundo semestre de 2021, 325 cidades italianas tinham implementado o Modelo Lixo Zero, impactando positivamente mais de 7 milhões de habitantes e apresentando taxas de coleta seletiva altíssimas. A região do Vêneto, por exemplo, tem 74,7% de seus resíduos recolhidos separadamente e a cidade de Treviso, 87,7%. Mais de 100 municípios italianos atingiram 90% de alcance da coleta seletiva diferenciada e 1.168 municípios atingiram os 80%. E a boa notícia é que esta não é uma realidade possível só para as cidades pequenas. Em Milão, a coleta seletiva porta a porta atinge hoje 100% dos habitantes.

É pensando em replicar este modelo de sucesso, eficiência e cidadania que a Embaixada da Itália em Brasília reúne em sua sede, de 30 de março a 2 de abril, professores, pesquisadores, autoridades e instituições empenhados com o meio ambiente e sustentabilidade, a fim de se debruçarem sobre o tema.

“Tenho muito orgulho de que a Itália possa, mais uma vez, ser uma referência no setor de sustentabilidade ambiental, e, esperamos, um bom exemplo e um estímulo para outros países e povos. A Itália é o país com mais cidades “Lixo Zero” do mundo e sabemos que o modelo italiano inspirou também três importantes cidades brasileiras a se candidatarem ao projeto “Cidades Lixo Zero”: Florianópolis, Chapecó e Rio de Janeiro”, diz o Embaixador da Itália no Brasil, Francesco Azzarello.

Serão quatro dias de palestras, depoimentos, mesas redondas e oficinas, que terão como objetivo estudar e disseminar conhecimentos, iniciativas e experiências de sucesso.

PROGRAMAÇÃO

Dia 31 de março

O dia 31 de março começará com o Tour Lixo Zero, um passeio gratuito e aberto ao público (mediante inscrição) que terá como primeira etapa o pátio de compostagem da Embaixada da Itália e que seguirá em van pelas principais iniciativas Lixo Zero de Brasília.

À tarde, para falar sobre as experiências bem sucedidas, que tornaram o país referência mundial, a Embaixada  sediará  o ciclo de palestras “Lixo Zero: a inspiração italiana”, onde estarão presentes especialistas italianos como o professor Rossano Ercolini (Presidente da Zero Waste Italy), um dos maiores representantes do movimento na Europa;  Alessio Ciacci, Eco Manager responsável pela gestão dos resíduos sólidos  no “Comuni Rifiuti Zero”, implantada e bem sucedida em mais de 300 cidades italianas e Enzo Favoino (Coordenador do Comitê científico Zero Waste Europe), que fará uma análise de como a adesão de cidades europeias ao programa vem trazendo avanços ambientais em conformidade com a estratégia de uma economia circular.

Dia 1º de abril

Na manhã do dia 1º de abril acontecerá a primeira visita do projeto “Educação Lixo Zero”: quase 60 alunos de uma escola pública do DF irão à Embaixada para participar de uma oficina de compostagem e de palestras sobre reciclagem.

À tarde, continuará o ciclo de palestras “Lixo Zero: os destaques brasileiros”  que reunirão experiências bem-sucedidas no Brasil. O ex-prefeito de Chapecó, Luciano Buligon, mostrará a implantação do programa Lixo Zero na cidade durante sua gestão. 

Ian Mckee, um dos fundadores do Instituto Ecozinha, apresentará o modelo de restaurantes sustentáveis com ênfase na compostagem dos orgânicos e na logística reversa do vidro, iniciado em Brasília, com planos de expansão para o resto do Brasil.

Os professores Jader Busato e Alessandra Monteiro, da UnB, compartilharão seus estudos sobre a possibilidade de aceleração do processo de compostagem e a professora Priscila Coppola (UnB) apresentará o Projeto Bio Gama, de reciclagem de óleo de cozinha, em parceria com a Embaixada.

Dia 2 de abril

A “Semana” terminará com a estréia mundial do vídeo “Boravê” filmado na sede da Embaixada da Itália sobre as iniciativas verdes adotadas pela representação diplomática e realizado pelo famoso canal YouTube “Manual do Mundo”, maior canal de ciência em língua portuguesa do mundo.

INICIATIVAS LANÇADAS NA SEMANA EMBAIXADA VERDE

Reciclagem de bituca de cigarro – A partir de abril de 2022, a Embaixada da Itália em Brasília será a primeira Embaixada do mundo a reciclar as bitucas de cigarro descartadas pelos funcionários e frequentadores do local. A tecnologia foi desenvolvida pela Universidade de Brasília (UnB) e patenteada pela empresa paulista Poiato Recicla, parceira da Embaixada.

Reciclagem de óleo de cozinha – A Embaixada entregará mensalmente ao Projeto Bio Gama da Universidade de Brasília (UnB), coordenado pela prof. Priscila Coppola, o óleo de cozinha usado em sua sede. O Projeto BioGama tem como finalidade despertar a consciência ambiental da população sobre os impactos do incorreto descarte do óleo residual.

Educação Lixo Zero – A Embaixada abrirá as portas uma vez por mês para visitação às iniciativas ambientais realizadas no local. As visitas terão duração de duas horas e serão direcionadas a estudantes de escolas públicas e privadas do Distrito Federal, com palestras e oficinas sobre compostagem.

A CERTIFICAÇÃO LIXO ZERO

A Certificação Lixo Zero é concedida, no Brasil, pelo Instituto Lixo Zero Brasil (ILZB), que representa a Zero Waste International Alliance (ZWIA) aqui no país. Para obter essa certificação, a instituição/empresa precisa comprovar que destina mais de 90% de seus resíduos sólidos do aterro sanitário, por meio de práticas como a reciclagem, a compostagem e o correto encaminhamento dos resíduos. 

Em 2010, a Embaixada da Itália foi reconhecida como Embaixada Verde, por adotar diversas medidas em prol da diminuição do seu impacto ambiental, como o reaproveitamento de água e a troca de maquinários e equipamentos antigos com desempenho energético insatisfatório. Em abril de 2021, recebeu também a Certificação Lixo Zero. 

EMBAIXADA LIXO ZERO

A Embaixada da Itália em Brasília foi a primeira missão diplomática no mundo a receber a certificação “Lixo Zero” do Instituto Lixo Zero Brasil. Um conjunto de medidas garante que praticamente 100% dos resíduos orgânicos sejam destinados à composteira do complexo. O produto final é usado como fertilizante, dentro da Embaixada.

Os resíduos recicláveis e eletrônicos são doados a algumas cooperativas parceiras que, dessa forma, têm a oportunidade de gerar empregos e renda através da venda do material.

A Embaixada também aboliu o uso de copos plásticos, passando a ser “single-use plastic free”. Com a iniciativa, deixou de comprar 28 mil copos descartáveis por ano. Para o público, a Embaixada fornece copos compostáveis que, após o uso, são encaminhados para a composteira.

Localizada no meio da capital federal, a sede diplomática, que ocupa uma área de 25 mil metros quadrados, destina hoje menos de dois quilos de resíduos por dia para aterro sanitário. Antes do projeto, esse número chegava a 125 quilos.

PROGRAMAÇÃO COMPLETA E MODALIDADES DE INSCRIÇÃO

As iniciativas dos dias 31 de março  e 1º de abril serão abertas ao público, que deverá se inscrever para manifestar interesse e garantir a vaga.

Para ter acesso à programação do evento completa e conhecer as modalidades de inscrição, acesse o link https://linktr.ee/italyinbrazil

Compartilhe

Fabiana Ceyhan

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.