Embaixada da Finlândia enfatiza a importância da camada de Ozônio

Em uma publicação no Twitter, a Embaixada da Finlândia em Brasília , enfatizou sobre a importância da camada de Ozônio na proteção do planeta.Hoje, 16 de setembro é o dia mundial da camada de ozônio, o que para muitos pode ser um tema desconhecido, ou pouco falado. o assunto é para todos, fundamental para a sobrevivência do planeta.

A Camada de Ozônio

É uma camada que se localiza na estratosfera, entre 25 e 30 km acima da superfície, composta pelo gás ozônio (O3) que ajuda a proteger os seres vivos da radiação ultravioleta do tipo 2 (UV2). Na atmosfera, um processo natural de reação química entre os raios UV2 e o oxigênio (O) leva ao ciclo do ozônio e a contínua quebra e formação de moléculas de oxigênio {O3 ⇌ O2 + [O]}.

O ozônio, quando presente na superfície terrestre, é um gás poluente e prejudicial, responsável por aumentar a temperatura em conjunto com os demais gases poluentes: monóxido de carbono (CO2), dióxido de carbono (CO2) e metano (CH4), podendo produzir chuva ácida e outros malefícios, como o agravamento do efeito estufa

O que destrói a camada de ozônio é a emissão de gases industriais poluentes produzidos pelo homem, principalmente os chamados clorofluorcarbonos (CFCs), utilizados em geladeiras, congeladores, sprays em aerossol e na produção de plástico. 

Após emitidos, esses gases iniciam um ciclo de 8 anos para chegarem à camada e, quando entram em contato com a radiação solar, se transformam em cloro. Por sua vez, a molécula de oxigênio reage com o ozônio e forma gás oxigênio (O2). 

No entanto, o gás oxigênio sozinho não oferece proteção contra os raios ultravioleta, produzindo buracos na proteção natural do planeta, em especial nos polos, locais mais frios onde a reposição do ozônio é mais difícil. 

Ou seja, a preservação da camada de ozônio só é possível a partir da redução dos gases que a danifica. Para tratar da questão existe o Protocolo de Montreal, firmado em 1987 com o objetivo de reduzir a emissão dos gases que atacam a camada de ozônio. O tratado passou a valer a partir de 1989, com o controle da emissão de todos os gases nocivos.

Consequências da destruição da camada de ozônio

Os buracos geram falhas perigosas na proteção da camada de ozônio aos seres vivos. Nos humanos, a radiação solar causa câncer de pele, afeta o sistema imunológico, causa danos à visão e acelera o envelhecimento.

No entanto, os impactos vão além e atingem todas as formas de vida, causando desequilíbrios ecológicos e problemas agrícolas, como a mudança de estrutura molecular das plantas, que podem afetar o abastecimento de alimentos, por exemplo. 

Camada de ozônio e efeito estufa

O O3 é um dos gases responsáveis pelo efeito estufa, o desejado e necessário para a vida na Terra, que quando em equilíbrio mantém o planeta aquecido e longe dos raios UV2. Sem ele, a terra seria cerca de 30ºC mais fria, alterando drasticamente toda a biodiversidade e a vida como conhecemos.

Sem a camada de ozônio, o planeta sofre maior exposição aos raios UV2, favorecendo o aumento da temperatura e do calor, agravando os efeitos do efeito estufa decorrentes da poluição e da queima de combustíveis fósseis. O efeito estufa indesejado que gera o aquecimento global.

🇧🇷

Compartilhe

Fabiana Ceyhan

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.