Companhia Egipcia encomenda três aviões da Embraer

A CIAF Leasing assinou pedido firme para três jatos E190, que serão entregues no quarto trimestre do ano que vem.

 

Executivos da Ciaf (esq.) e da Embraer

Divulgação

Da Redação
anba@anba.com.br

São Paulo – A CIAF Leasing, companhia de leasing de aeronaves com sede no Cairo, capital egípcia, assinou um pedido firme de três aeronaves E190 da fabricante brasileira Embraer. A encomenda está avaliada em US$ 161,4 milhões e as três unidades vão integrar a frota da CIAF, já composta por três jatos da Embraer, o E170, dos quais dois são arrendados pela Jasmin Airways e um pela empresa Air Cairo.

O anúncio foi feito durante a Dubai Air Show, feira da aviação que começou no domingo (17) e segue até a próxima quinta-feira (21) em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, da qual a Embraer participa como expositora. Os aviões serão entregues no quarto trimestre do ano que vem. A CIAF vai receber também dois jatos E195 da Embraer ainda este mês, segundo material divulgado pela empresa brasileira.

“Os três novos E190 serão uma excelente adição à nossa crescente frota de E-Jets. Com uma frota de aviões E170, E190 e E195, a CIAF terá a flexibilidade de oferecer a ambos os nossos clientes de leasing, com ou sem tripulação, um serviço que atende exatamente às suas necessidades”, disse o chairman e CEO da CIAF Leasing, Hassan Mohamed.

“É uma honra trabalhar com uma companhia que se fortalece aproveitando os benefícios que uma família de aeronaves pode oferecer”, afirmou Raul Villaron, diretor de Vendas para Oriente Médio e África da Embraer Aviação Comercial, sobre a venda para a CIAF Leasing. Na foto acima, Mohamed (esq.) e Villaron (dir.).  

A Embraer anunciou na Dubai Air Show ainda a assinatura de contrato com a Air Peace, maior companhia aérea da Nigéria, para a venda de três jatos E195-E2 adicionais, confirmando direitos de compra do contrato original assinado em abril deste ano. O pedido firme da Air Peace prevê agora 13 aviões E195-E2 .

Também na feira, a Embraer anunciou o novo nome e designação da sua aeronave KC-390 para o mercado internacional, que será Embraer C-390 Millennium. O C-390 foi projetada pela Embraer após pedido, em 2009, da Força Aérea Brasileira (FAB), que queria uma aeronave para substituir sua frota de C-130.

De acordo com a companhia, ele é chamado avião de transporte multimissão porque é capaz de executar uma variedade de missões, como transporte de carga e tropas, lançamento aéreo de cargas e paraquedistas, busca e salvamento, combate aéreo a incêndios, evacuação médica e missões humanitárias, entre outras operações.

A Embraer e a Boeing também anunciaram ainda que joint venture para promover e desenvolver novos mercados para o C-390 Millennium será chamada de Boeing Embraer – Defense. A organização, porém, estará operacional depois que a joint-venture entre as empresas receber aprovação dos órgãos regulatórios e cumprir com as condições para a conclusão das negociações.

“A Boeing Embraer – Defense irá se basear no histórico de colaboração entre nossas empresas, no setor aeroespacial comercial e de defesa, para agregar maior valor ao C-390 Millennium, à medida que o avião está entrando em serviço e irá liderar a próxima geração de aeronaves de transporte e mobilidade aérea”, disse Marc Allen, presidente da Boeing para a Parceria com a Embraer e Operações do Grupo, em material divulgado.

A Boeing comprou a divisão de aviação comercial da Embraer, o que resultou na criação de uma nova empresa com participação de 80% da norte-americana e de 20% da brasileira, batizada de Boeing Brasil. O negócio, porém, só deve ser concluído em 2020, após aprovação de agências reguladoras.

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.