A experiência do Cazaquistão na luta contra o coronavírus

O Cazaquistão é um dos países que faz fronteira com a China. Confira abaixo o artigo:

Presidente do Cazaquistão Kassym-Jomart Tokayev

No dia de 27 de abril, o Presidente da República do Cazaquistão, Kassym-Jomart Tokayev, fez um pronunciamento ao povo cazaque, no qual anunciou a extensão do estado de emergência no país até 11 de maio. Este regime foi introduzido em 16 de março, depois que a Organização Mundial da Saúde anunciou uma pandemia de infecção por coronavírus.

O Cazaquistão – um estado localizado no coração do continente euro-asiático, na junção de duas civilizações da Europa e da Ásia, é o maior estado da Ásia Central e o nono maior território do mundo (2 724 900 km2). Em um país com um PIB de 168 bilhões de dólares, vivem 18 milhões de habitantes, a maioria dos quais são representantes do povo turco – os cazaques.

O Presidente do Cazaquistão enfatizou sobre medidas implementadas pelo Governo durante o estado de emergência:

6 trilhões de tenge alocados para apoiar cidadãos e empresas (US $ 14 bilhões);

4 milhões e 250 mil pessoas receberam assistência financeira;

1,6 milhão de cidadãos e 11,5 mil pequenas e médias empresas receberam um adiamento dos pagamentos de empréstimos e créditos no valor de 360 ​​bilhões de dólares (838 milhões de dólares);

570 mil pessoas receberam pacotes de alimentos (está previsto fornecer 1,1 milhão de cazaquistão);

700 mil empresas e empreendedores individuais são cobertos por incentivos fiscais, o que lhes permitirá economizar 1 trilhão tenge (2,3 bilhões de dólares);

200 bilhões de tenge (US $ 465,5 milhões) foram alocados para financiar trabalhos de campo e compras a prazo, incluindo 70 bilhões de tenge (US $ 163 milhões) foram alocados para o desenvolvimento da produção de sementes, a compra de fertilizantes e pesticidas.

A fim de garantir a estabilidade social e econômica, preservando a vida e a saúde dos cidadãos, Kassym-Zhomart Tokaev informou sobre medidas seguintas, em particular:

– a retomada do trabalho de empreendimentos industriais, empresas de construção e construção de estradas, empresas de transporte, bancos, centros de serviço público, com rigoroso cumprimento de todas as normas sanitárias; garantir a segurança do equipe médico;

– receberam assistência financeira do estado de mais de 1,6 milhão de pessoas para pagar pelos serviços públicos;

– a formação do registro de empresas de backbone que serão apoiadas;

– Preservação do ensino a distância em universidades, faculdades, escolas;

– o Governo continuará pagando benefícios no valor de 42.500 tenge (100 dólares americanos) a cidadãos cujas ficaram sem fontes de renda, além de fornecer kit de alimentação para famílias carentes;

– a partir de 1º de maio, serão abertos voos entre as cidades de Nur Sultan e Almaty;

– Veteranos da Grande Guerra Patriótica no Dia da Vitória (9 de maio) receberão assistência financeira.

No entanto, o retorno ao regime anterior de locais públicos, como shopping e centro de lazer, cinemas, restaurantes, parques e outros, ainda é prematuro. Além disso, por recomendação da Administração Espiritual dos Muçulmanos do Cazaquistão, durante o mês sagrado do Ramadã, algumas tradições terão que ser abandonadas, incluindo reunir convidados para o iftar.

O Governo foi instruído a levar a produção de sistemas de testes domésticos para o nível industrial, a redigir um novo Código sobre Saúde das Pessoas e o Sistema de Saúde, levando em consideração todas as sugestões práticas e também, juntamente com o Banco Nacional, a preparar um Plano Abrangente para Restaurar o Crescimento Econômico. Por sua vez, o Ministério da Saúde deve aumentar o volume de testes para 20 a 25 mil estudos por dia. Em 30 de abril de 3356 casos de infecção foram registrados no Cazaquistão, 858 pessoas foram curadas e 25 faleceram.

Embaixada do Cazaquistão no Brasil

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.