Porta voz da diplomacia Chinesa em Pequim, declara indignação ao atos de Eduardo Bolsonaro

Na manhã de hoje, 20 de março, um porta-voz da diplomacia chinesa, Geng Shuang, declarou como “imorais” as declarações de Eduardo Bolsonaro, que acusou Pequim de esconder informações relacionadas ao início da pandemia mundial do coronavírus, provocando uma crise diplomática com a China iniciada em 18 de março, através do Twitter inicial do deputado, presidente da comissão de Relações exteriores da Câmara Federal, Eduardo Bolsonaro e imediatamente respondida pelo embaixador da China no Brasil, Yang Wanming.

A mensagem de Eduardo no Twitter foi:

“Uma ditadura que preferiu esconder algo grave a expor tendo desgaste, mas que salvaria inúmeras vidas. A culpa é da China e liberdade seria a solução”,  o deputado fez uma comparação com “a ditadura soviética”, que supostamente ocultou a escala do desastre nuclear de Chernobyl, na Russia, causando a morte de inúmeras pessoas, no ano de 1986.

Geng afirmou que desde o início da epidemia, a China adotou as medidas de prevenção e de controle mais rigorosas, abrangentes e mais completas de maneira aberta, transparente e responsável”. Vários políticos brasileiros demonstram apoio a China. O governador de São Paulo, do Distrito Federal, presidente interino do Senado, presidente da Câmara, expressaram publicamente o repúdio as colocações do filho do presidente do Brasil e o interesse na amizade bilateral com o país asiático. A China segue indignada e não se sabe o desfecho dessa crise em meio a pandemia Mundial do Coronavírus.

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.