“História de sucesso da Geórgia no combate ao Covid-19” Entrevista com o embaixador David Solomonia.

Entrevista concedida a Jornalista Fabiana Ceyhan

Embaixador da Geórgia no Brasil David Solomonia

Por favor, explique a situação na Geórgia sobre as respostas do governo para combater o COVID-19

O governo conseguiu manter a propagação do vírus?

Nesta fase, podemos dizer definitivamente que sim, o governo da Geórgia conseguiu conter a propagação do vírus e achatar a curva. O caso é que o governo tomou medidas efetivas muito antes do primeiro caso de coronavírus na Geórgia ser confirmado. Até o momento, em 22 de abril, a Geórgia tem pouco mais de 400 casos confirmados, com cerca de um terço deles se recuperando, e apenas cinco mortes.

O sucesso em mitigar a disseminação e garantir uma baixa taxa de mortalidade não é um acidente. Devido a um pacote de decisões oportunas, a Geórgia é um exemplo não apenas para a região, mas para o mundo, uma prova que uma gestão eficiente de crises não requer necessariamente uma vasta quantidades de recursos. Isso deve ser atribuído aos seguintes fatores:

REAÇÃO ANTECIPADA

Foi no começo de janeiro de 2020, quando o Conselho de Coordenação Interinstitucional, liderado pelo Primeiro Ministro da Geórgia, Giorgi Gakharia, foi lançado para mitigar e conter a ameaça do coronavírus. Na época, quase ninguém previa que o vírus atingisse o mundo com tanta intensidade. No entanto, a reação do governo da Geórgia foi rápida e, como se viu, oportuna.

A Geórgia tomou medidas preventivas suspendendo vôos dos países afetados e também reagiu imediatamente enviando todos que retornavam do exterior para “hotéis de quarentena” designados ou com isolamento próprio por 14 dias. Bem antes disso, a Geórgia foi um dos primeiros países a implementar rigorosos controles aeroportuários para todas as pessoas que entravam no país, uma medida que provou ser eficiente na detecção de indivíduos infectados.

A campanha de comunicação em conjunto com a criação de um site dedicado, stopcov.ge, redes sociais e mídia, com o objetivo de conscientizar o público sobre a gravidade da crise que os georgianos poderiam enfrentar.

MENSAGEM CORRETA

A comunicação de crise é outro elemento essencial para a implementação bem-sucedida de tais decisões extraordinárias. Os membros do gabinete e os especialistas médicos garantiram que as decisões e as recomendações do Conselho de Coordenação Interinstitucional fossem claramente explicadas ao público.

Imediatamente após o primeiro caso confirmado houve alguma preocupação e as pessoas estavam comprando em farmácias e supermercados em grandes quantidades o que logo diminuiu quando ficou claro que os suprimentos estavam sob controle. Posteriormente, o terreno foi preparado para declarar estado de emergência, em meados de março todas as escolas e universidades foram fechadas (aulas ministradas por plataformas digitais), eventos culturais e esportivos foram cancelados, todas as reuniões públicas ficaram restritas e restaurantes e bares fechados.

As fronteiras da Geórgia foram fechadas para viagens de entrada, com exceção dos cidadãos da Geórgia que estavam sendo transportados de avião em todo o mundo. Mais importante ainda, o reforço das medidas estava em conformidade com as recomendações estabelecidas pelos profissionais de saúde do Centro Nacional Georgiano de Controle de Doenças. Os especialistas em saúde da Geórgia foram ousados ​​o suficiente para alterar algumas das recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS), adaptando-as a um cenário georgiano.

A população está aceitando as regras do governo de forma pacífica?

A chave para a Geórgia não foi apenas uma ação precoce e decisiva, mas a clara e consistente comunicação com nossos cidadãos também. O público da Geórgia recebeu totalmente as medidas de isolamento e quarentena com o devido entendimento, embora haja alguns casos de inconformidade, os mesmos foram efetivamente apreendidos e com aumento de multas. No total, a maioria da população aceita os conselhos e recomendações do governo razoavelmente e cumpre as regras estabelecidas para impedir a propagação do Covid-19.

A Geórgia tem países vizinhos com muitos casos de Covid-19, qual é a situação sobre casos e sistema de saúde?

Sim, infelizmente, o número de casos em nossa vizinhança é bastante grande,  combinando aproximadamente 155.000 casos de coronavírus e mais de 2.817 mortes. A Geórgia está compartilhando ativamente sua bem-sucedida gestão de crise, experiência, conhecimentos e lições aprendidas regional e globalmente e continuarão a fazê-lo, até que a crise desapareça.

Está tudo sob controle?

Embora o assunto esteja aparentemente sob controle, a ameaça – enfatizam os especialistas médicos – está longe de acabar. Até o momento, a Geórgia está vencendo sua guerra contra a pandemia e, esperançosamente, continuará com sucesso como antes, no entanto, não se espera que a curva global achate tão cedo.

O COVID-19 terá um efeito extremamente negativo na economia mundial, incluindo a Geórgia, e apesar da baixa taxa de mortalidade, a economia da Geórgia inevitavelmente sofreu um duro golpe.

O governo, no entanto, anunciou um pacote de resgate econômico antecipado, incluindo centenas de milhões de dólares em auxílio a estímulos comerciais, adiando o pagamento de impostos sobre a propriedade e imposto de renda por vários meses e fornecendo restituições de IVA a empresas para ajudar com capital de giro e também fornecendo serviços médicos importantes e compensações para os necessitados. Ainda assim, o louvor que a Geórgia recebeu da OMS por sua resposta ao coronavírus é bem merecida e poderia servir de exemplo para outros países.

Por favor, fique à vontade para falar sobre toda a situação da pandemia

A implementação de proibições de viagens de países com picos já em janeiro foi essencial para a baixa taxa de transmissão, o governo viu os sinais de alerta desde o início e agiu sobre eles. O Governo tomou ações fortes e decisivas desde o início. A primeira ação official ocorreu em 22 de janeiro, quando o Centro Nacional de Controle de Doenças da Geórgia alertou os georgianos contra a viagem e a verificação de todos os viajantes que retornavam dos locais afetados pela Covid-19.

Gostaria também de aproveitar a oportunidade e, mais uma vez, expressar minha gratidão ao Governo da República Federativa do Brasil por sua iniciativa de manter seu espaço aéreo aberto ao tráfego aéreo internacional, permitindo que estrangeiros não residentes que entraram no território brasileiro para uma estada temporária, retornem aos seus países de origem ou residência, no contexto da pandemia do COVID-19.  

Agimos incansavelmente para apoiar a repatriação de nossos cidadãos no exterior em meio à atual situação global de emergência em saúde e a decisão do governo brasileiro facilitou amplamente esses esforços. Estamos à disposição das autoridades brasileiras para possível coordenação de repatriações de cidadãos brasileiros como expressão de solidariedade mútua. Uma crise de tal magnitude só pode ser superada com os esforços comuns da comunidade internacional.

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.