História da culinária árabe: sabores do oriente

O que você sabe sobre a história da culinária árabe? A rica tradição gastronômica desta região remonta a milênios atrás e tem desempenhado um papel fundamental na formação de diversas culturas culinárias.

Neste artigo, exploraremos as origens, os sabores distintos e a influência árabe na gastronomia global.

As origens

A história da culinária árabe tem suas raízes profundamente entrelaçadas com os ingredientes nativos da região do Oriente Médio. Antes do surgimento do Islã no século VII, a Península Arábica era habitada por várias tribos nômades e sedentárias, cujas principais atividades econômicas eram a pecuária, a agricultura e o comércio. Desde tempos antigos, elas têm cultivado uma variedade de ingredientes típicos que formam sua base, entre eles:

  1. Frutas: tâmaras, figos, romã, tangerinas, damascos, ameixas, maçãs, laranjas, limão.
  2. Óleos e Grãos: azeite de oliva grão-de-bico, lentilhas, arroz, o cuscuz, feito de sêmola de trigo, é uma alternativa ao arroz
  3. Carnes e Aves: cordeiro, frango e peixe em regiões costeiras.
  4. Vegetais: alho, cebola, tomate, pepino, berinjela e pimentões
  5. Ervas: hortelã, salsa e coentro, o zaatar, um mix de ervas, e o sumac, um tempero vermelho e ácido.
  6. Oleagionosas: Nozes e amêndoas são ingredientes comuns para adicionar sabor e textura a pratos salgados e doces.

Com o surgimento do Islã (610 d.C ) e o estabelecimento de um sistema de escrita mais desenvolvido, a história e a cultura árabes passaram a ser mais documentadas. Em 632 d.C., a expansão islâmica sob os califas, conquistou rapidamente territórios no Oriente Médio, Norte da África e Península Ibérica, aumentando ainda mais o comércio de itens e o intercâmbio cultural e gastronômico dos povos da região com o restante do mundo.

O comércio de especiarias

A Península Arábica era desde os primórdios, uma importante rota comercial que ligava as civilizações do Oriente Médio e do Mar Mediterrâneo à África, Índia e China. Comerciantes árabes viajavam por longas distâncias e com isso enriquecendo as receitas com itens de outras regiões como:

  1. Canela: originária do Sri Lanka (Ceilão),
  2. Pimenta-do-reino: originária da Índia,
  3. Gengibre: que tem suas origens na Ásia tropical,
  4. Açafrão: originário do sul da Ásia,
  5. Cravo: nativo das Ilhas Molucas (atual Indonésia),
  6. Cardamomo: que se originou nas florestas tropicais do Oeste da Índia, também fazia parte do comércio de especiarias nessa rota.
  7. Noz-moscada:  Nativa da Indonésia, ainda hoje a planta é cultivada por lá.

A estes adiciona-se o cominho, o açafrão e uma imensa variedade de pimentas e ervas da região.

O Halal

Com o advento do Islã, ocorreram mudanças na culinária da região, com o “ halal “. O termo refere-se a um conjunto de princípios e práticas permitidas pela lei islâmica, especialmente quando se trata de alimentos e bebidas. Ele estabelece como os alimentos devem ser preparados para que sejam considerados puros e adequados para consumo pelos muçulmanos.

Isso inclui evitar ingredientes proibidos, como carne suína e álcool, e garantir que os procedimentos de abate visam garantir que os animais sejam mortos de maneira rápida e com o mínimo de sofrimento possível.

O pão

O pão ocupa um lugar central na cultura árabe, sendo um alimento tradicional e fundamental na mesa das famílias e nos momentos de convivência. Historicamente, o pão era e continua sendo produzido de maneira artesanal. As mulheres desempenham um papel importante na sua preparação, transmitindo receitas e técnicas de geração em geração.

O pão árabe tradicional, também conhecido como “pão sírio” ou “pão pita”, é conhecido por sua forma achatada e bolsas de ar internas que o tornam ideal para rechear com diferentes ingredientes. A massa é composta principalmente de farinha, água, sal e fermento. Ela é amassada, deixada para descansar e, em seguida, é cozida em fornos de barro.

Pastas e Molhos

O tahine, uma pasta de gergelim. A coalhada seca, conhecida como Labneh. O iogurte também é amplamente usado, tanto em molhos como em sobremesas.

Sobremesas e Decoração

A culinária árabe é conhecida por suas deliciosas sobremesas, e o açúcar de rosas ou água de flor de laranjeira, é frequentemente utilizado para dar um toque floral e perfumado a essas iguarias.

O açúcar mascavo e o mel também são bastante empregados na doçaria árabe. Pétalas de rosa são usadas para decorar pratos, acrescentando um toque de beleza e sofisticação.

Alguns pratos que fazem parte da história da culinária árabe

  1. Falafel – bolinhos fritos de grão de bico temperados com especiarias.
  2. Tabule – uma salada refrescante de trigo bulgur, salsa, hortelã, tomate e cebola.
  3. Kebab – espetos de carne, geralmente carneiro, frango ou carne bovina, grelhados e temperados.
  4. Shawarma – fatias de carne grelhada, normalmente carneiro, frango ou carne bovina ou peixe, servidas em pão sírio com molhos e vegetais.
  5. Baba Ghanoush – uma pasta de berinjela defumada, tahine, limão e alho.
  6. Kibbeh – bolinhos feitos de carne moída, tradicionalmente carneiro e trigo bulgur. Existe também uma versão crua.
  7. Arroz com lentilhas – arroz cozido com lentilhas e cebolas fritas.
  8. Kafta – espetos de carne moída, geralmente carneiro com cebola e especiarias.
  9. Fatoush – uma salada com pão sírio torrado, alface, tomate, pepino e hortelã.
  10. Mjadra – uma mistura de arroz e lentilhas com cebolas fritas por cima.
  11. Labneh – um tipo de queijo de iogurte cremoso.
  12. Dolma – folhas de uva ou legumes recheados com uma mistura de arroz, carne e temperos.
  13. Fatayer – pastéis recheados com espinafre, queijo branco ou carne.
  14. Arroz com cordeiro (Mansaf) – arroz cozido com cordeiro, servido com um molho de iogurte fermentado (jameed) e amêndoas.
  15. Fattoush – uma salada com pão sírio torrado, alface, tomate, pepino, rabanete e hortelã, temperada com sumagre.
  16. Kousa Mahshi – abobrinha recheada com uma mistura de arroz, carne e temperos.
  17. Arroz com frango e nozes (Roz Bel Laban) – arroz cozido com frango, leite e nozes.
  18. Harira – uma sopa espessa e picante, muitas vezes servida durante o Ramadã.
  19. Arayes – sanduíches feitos com pão sírio recheado com carne moída e grelhados.
  20. Muhammara – uma pasta de pimentões vermelhos assados, nozes, azeite e pão.

Conclusão

A história da culinária árabe é uma rica tapeçaria de sabores, tradições e histórias que tem encantado pessoas em todo o mundo. Desde suas origens na antiga civilização árabe até sua expansão global, a cozinha árabe continua a cativar paladares com suas combinações únicas de especiarias e ingredientes frescos.

Fonte: blog.praticabr.com

Compartilhe

Fabiana Ceyhan

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.