Festival do japão é sucesso em Brasília

 

O Sexto Festival do Japão acontece entre  05 e 07 de maio na expo Brasilia. A Equipe do brasiliainfoco.com  visitou  hoje(06) o evento ,que contou  com várias atrações musicais,danças,karaokês,workshops, stands de comida japonesa, decoração, roupas e utilidades em geral. A Embaixada do Japão e o Governo de Brasília são alguns dos patrocinadores que marcaram presença constante, a Embaixada do japão tem inclusive um stand fixo no pavilhão, o Embaixador Sr. Satoru Satoh também estava no local e foi jurado no concurso de Miss Nikkey do Distrito Federal. O concurso tem como objetivo eleger uma representante do Distrito Federal para concorrer na etapa nacional que acontece na cidade de São Paulo todos os anos ,as participantes devem ser descendentes ,filhas ou netas de japoneses. A vencedora deste ano ,foi a jovem Cintia Sakata, de 18 anos, estudante de Relações Internacionais. O festival tem sido um sucesso geral, com publico   variado, entre moradores de Brasília e descendentes de japoneses que residem nas cidades próximas.O público estimado para comparecer ao evento é de 50 mil pessoas até o fechamento do festival no domingo as 18h.

 Brasil ,local onde se encontra a maior Colônia de japoneses do Mundo:

Há 109 anos  atrás chegou ao Brasil  o  primeiro navio de imigrantes  oriundos do japão, o  navio se chamava  Kasato Maru, em 18 de junho de 1908. Estima-se que, hoje, mais de um milhão e meio de descendentes nipônicos vivem no país, população que aumenta a cada ano e representa a maior comunidade de descendentes de japoneses fora do Japão. A grande maioria reside nos estados de São Paulo, Paraná, Mato Grosso do Sul, pará e Minas Gerais.

 

Foto:Yasemin Ceyhan-Brasiliainfoco

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.