Entrevista com o Embaixador Sergey Lukashevich – Relações entre Brasil e Belarus

1- Embaixador, por gentileza fale um pouco sobre os seus planos como representante de Belarus no Brasil no ano de 2022.

Belarus e o Brasil são parceiros de longa duração. Esta parceria não se limita ao comércio. Por exemplo, este ano vamos celebrar 30 anos de relações diplomáticas entre nossos países!

Vale notar que foi há apenas 30 anos que Belarus se separou da União Soviética, portanto não é difícil calcular que o Brasil foi um dos primeiros com quem nosso país estabeleceu relações diplomáticas.

Belarus é globalmente conhecida por seu sucesso em IT e alta tecnologia, por isso vejo como parte de meus planos de trazer essas tecnologias para o Brasil. Por exemplo, já estamos trabalhando com parceiros brasileiros na possibilidade de fornecer ônibus elétricos belarussos para cidades brasileiras, e eventualmente gostaríamos de criar uma produção conjunta de tais ônibus em um dos estados. Gostaria de enfatizar: o custo do ônibus elétrico belarusso é três vezes menor do que o de veículos similares de conhecidos fabricantes europeus.

Não há fome em Belarus; temos total garantia de segurança alimentar do nosso país. Nós, como o Brasil, temos um setor agrícola bem desenvolvido, sendo, por exemplo, o 4º maior produtor de queijo do mundo. Cada terceiro caminhão fora de estrada do mundo é um BelAZ. Foi o BelAZ, em 2013, que fez o maior caminhão do mundo: com carga útil de mais de 500 toneladas. Tudo isso e muito mais, em que nossos países são ricos, pode ser combinado para o benefício de nossos povos.

2- Como é atualmente a cooperação bilateral entre Brasil e Belarus?

Confesso que tenho a honra de ser o Embaixador do meu país no maior país da América Latina e provavelmente o parceiro mais importante de Belarus na região. O Brasil está constantemente classificado entre os 10 principais parceiros de Belarus no mundo. Mas entre os 10 países o Brasil é o mais distante – estamos a 12000 quilômetros de distância, o que chega a ser 20 vezes mais longe do que, por exemplo, a Moscou, a capital da Rússia.

Em janeiro-novembro de 2021, o comércio entre os nossos países ultrapassou $701 milhões, um aumento de 16,9% em relação ao ano anterior. O crescimento é recíproco por natureza: tanto as exportações de bens belarussos para o Brasil como as importações de bens brasileiros para Belarus têm aumentado.

Belarus e Brasil sistematicamente oferecem apoio mútuo em organizações internacionais e fóruns internacionais. Belarus está atualmente passando pelo processo de adesão à OMC, e um diálogo construtivo foi estabelecido com o Ministério das Relações Exteriores do Brasil dentro deste mecanismo.

A cooperação na educação também está se desenvolvendo. Belarus tem oito estudantes brasileiros formados em várias áreas, incluindo medicina, construção e aviação. O alto nível de educação superior em nosso país atrai estudantes de muitos países.

Estou confiante de que no período pós-pandêmico tanto Belarus quanto o Brasil continuarão a desenvolver atividades de exposição. Como Embaixador, gostaria de convidar representantes da comunidade empresarial brasileira para visitar Belarus, que não exige visto ou qualquer outra permissão, basta comprar um bilhete de avião. Em particular, muitos empresários brasileiros podem ser interessados na exposição agrícola Belagro-2022, realizada em Minsk, a capital de nosso país, 7- 11 de junho de 2022.

3- Em quais areas o senhor acredita que podem acontecer avanços ainda maiores nessa relação, num contexto geral?

Não vou escondê-lo, e dificilmente será uma surpresa para seus leitores, mas a base das relações entre nossos países são as relações comerciais, cujo principal motor é o fornecimento de fertilizantes de potássio belarussos.

Tenho orgulho de dizer que Belarus está entre os três maiores fornecedores de fertilizantes para o Brasil, fornecendo 20% do total. Imagine só – quase um em cada cinco agricultores no Brasil usa fertilizantes belarussos para cultivar culturas que alimentarão pessoas em todo o mundo.

É uma grande responsabilidade ser um elemento importante no mecanismo que fornece alimentos a bilhões de pessoas da China para América Latina e combate a fome. Além disso, Belarus está enfrentando com sucesso este papel, apesar da pressão sem precedente exercida contro nosso país por alguns países ocidentais.

Também nossos países têm uma visão comum da necessidade de manter o equilíbrio ecológico em nosso planeta, portanto, Belarus se comprometeu a reduzir as emissões para 35% até 2030, em comparação com o nível de 1990.

4- Fale- nos um pouco de como o senhor acredita que o Brasil e Belarus podem se beneficiar mutuamente em relações comerciais

Como disse anteriormente, a base de nossas relações comerciais é o potássio, o nitrogênio e outros tipos de fertilizantes, mas além deles há toda uma gama de itens que preenchem o volume de negócios do comércio bilateral: alimentos brasileiros, café, frutas e castanhas, assim como produtos petroquímicos, têxteis, equipamentos de segurança belarussos.

Em geral, a lista de produtos básicos no comércio entre nossos países aumentou mais de 10% só em 2021, e eu, como Embaixador, farei os esforços necessários para manter e fortalecer este impulso positivo.

Uma janela de oportunidade está agora se abrindo para o Brasil para aumentar expartação para Belarus. Há todas as condições prévias para aumentar os volumes de carne, frutas, peixe e muitas outras coisas, porque devido às sanções injustas impostas pelos EUA e pela UE contra produtos belarussoss, Belarus decidiu recusar importações desses mercadorias destes países hostis. Os belarssos terão prazer em substituí-los por produtos brasileiros.

5. Reforma constitucional

No final de fevereiro de 2022, a República de Belarus planeja realizar um referendo sobre a reforma constitucional. Governo de Belarus revelou o projeto de nova constituição no dia 27 de dezembro 2021.

O projeto define a formação e os poderes da Assembleia do Povo Belarusso. Assembleia o órgão supremo representativo do povo e terá uma função estabilizadora e consolidadora na sociedade. O status especial da Assembleia é assegurado pela participação em suas atividades de representantes de todos os poderes públicos, do governo local e da sociedade civil.

A Assembléia é dotada de poderes significativos, incluindo a adoção dos principais documentos estratégicos e políticos do país, o início de emendas à Constituição e outras leis, a colocação de questões para um referendo republican, formação os Tribunais Constitucional e Supremo e a Comissão Central Eleitoral.

As alterações tornam mais rígidos os requisitos para os cidadãos belarussos que buscam ser eleitos presidente do país, aumentando a idade mínima de 35 para 40 anos, além de aumentar o período de residência permanente de 10 para 20 anos antes da eleição. São introduzidos limites de mandato para o Presidente – não mais do que dois mandatos.

Os poderes do parlamento e do governo estão sendo reforçados. É estabelecido um mandato de cinco anos tanto para os parlamentares. Está prevista uma sessão prolongada do Parlamento. Os deputados terão novos poderes de supervisão (ouvirão o Procurador Geral, os Presidentes do Comitê de Controle do Estado e do Banco Nacional) e estarão mais ativamente envolvidos na resolução de todas as tarefas importantes do Estado.

No projeto é dada especial atenção à formação da identidade nacional, à educação dos valores familiares tradicionais, ao apoio às famílias com crianças e jovens e à assistência estatal aos idosos e deficientes.

Uma mensagem constitucional igualmente importante é a preservação da memória histórica da Grande Guerra Patriótica e o heroísmo de massa do povo. É feito para as gerações presentes e futuras, para a unidade da sociedade belarussa.

As emendas constitucionais propostas enfatizam que Belarus exclui a agressão militar de seu território contra outros estados. Portanto, a nível constitucional proclamamos o desenvolvimento de energia nuclear para fins exclusivamente pacíficos, garantindo a segurança na produção e o uso de energia atômica.

Após o debate público e quaisquer revisões potenciais, as mudanças serão submetidas a um referendo. As emendas precisam angariar o apoio de mais de 50% dos eleitores, com pelo menos metade de todos os cidadãos comparecendo para votar.

Compartilhe

Fabiana Ceyhan

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.