Covid-19: Mais de 10.000 pessoas recrutadas para a próxima fase experimental da vacina de Oxford

Uma possível vacina para o coronavírus em desenvolvimento no Reino Unido está pronta para entrar nas próximas fases dos ensaios clínicos, disseram os pesquisadores.

Cientistas da Universidade de Oxford, que é um dos lugares em todo o mundo na corrida para encontrar uma vacina, disseram na sexta-feira que recrutariam 10.260 adultos e crianças para a próxima etapa.A primeira fase dos ensaios clínicos começou em abril e envolveu mais de 1.000 adultos saudáveis.

Esta segunda fase agora estará expandindo a faixa etária dos participantes, a fim de verificar se a vacina reage de maneira diferente para diferentes faixas etárias.Entre outro grande grupo de adultos saudáveis, o estudo também avaliará um pequeno número de crianças com idades entre 5 e 12 anos; um agrupamento entre 56 e 69 anos e mais entre os mais de 70 anos.

Uma terceira fase analisará de maneira mais geral se a vacina protege as pessoas contra o vírus, estudando um grande grupo de pessoas com mais de 18 anos.O professor Andrew Pollard, chefe do Oxford Vaccine Group, disse que os estudos progrediram “muito bem” e que as novas fases ajudariam a ter uma ideia melhor de se a vacina poderia ajudar a proteger a população em geral.Ele acrescentou: “Somos muito gratos ao enorme apoio dos voluntários do estudo para ajudar a testar se esta nova vacina poderia proteger os seres humanos contra o coronavírus pandêmico”.

Enquanto isso, Mene Pangalos, vice-presidente executivo de pesquisa e desenvolvimento de produtos biofarmacêuticos da AstraZeneca, disse estar “muito orgulhoso” por colaborar com a Universidade de Oxford , e elogiou a “pesquisa científica inovadora” por entrar tão rapidamente em testes de estágio final.

Ele acrescentou: “Faremos tudo o que estiver ao nosso alcance para nos envolver com governos, organizações multilaterais e parceiros em todo o mundo para aumentar a produção e distribuição e garantir uma distribuição rápida, justa e equitativa de uma vacina acessível globalmente”.

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.