“O Alto Karabakh é um território do Azerbaijão”

Oktay disse que a Turquia fica ao lado do Azerbaijão, a verdadeira vítima da ocupação

O vice-presidente turco, Fuat Oktay, falou à revista “Kriter” publicada dentro da Fundação para Estudos Políticos, Econômicos e Sociais (SETA)

Oktay disse que “a Grécia e a autoridade cipriota grega estão tentando ganhar o apoio de atores não pertencentes à região, mas ávidos por seu passado colonial sujo, como a França, que ainda não é costeira no Mediterrâneo Oriental, a partir da União Europeia (UE) com o pretexto da chamada solidariedade comunitária”.

“Por trás de todos esses esforços estão as verdades que faltam. Os argumentos defendidos pela Grécia e pela autoridade cipriota grega são infundados de acordo com o direito internacional. Mas as verdades não podem ser escondidas. A sociedade internacional saberá mais cedo ou mais tarde que nosso estado tem razão ”.

O vice-presidente Oktay enfatizou que “a Turquia é responsável por proteger os interesses e direitos legítimos dos cipriotas turcos” e que não tem como objetivo um punhado de terras de outros países.

Sobre o confronto entre o Azerbaijão e a Armênia, Oktay disse que a Armênia é um estado ocupante no território do Azerbaijão. “A Armênia demonstrou mais uma vez ao mundo inteiro que é o maior obstáculo à paz e estabilidade nesta região.”

“Nenhuma medida concreta foi tomada para acabar com a ocupação armênia de 28 anos do Alto Karabakh e das regiões vizinhas. As crescentes provocações armênias e seus ataques ao território do Azerbaijão encheram a paciência do Azerbaijão e deixaram-no usar seu direito de defesa legítimo estabelecido no direito internacional. O Alto Karabakh é um território do Azerbaijão ”, concluiu Oktay, que esclareceu que a Turquia fica ao lado do Azerbaijão, a verdadeira vítima da ocupação.

Fonte: TRT

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.