Embaixada dos EUA informa que as inscrições para o Programa Jovens Embaixadores 2018 vão até 9 de agosto

 Não perca essa oportunidade!


Mais de 500 alunos da rede pública brasileira já participaram desse intercâmbio

 

Brasília, 20 de junho de 2017 – A Embaixada dos Estados Unidos informa que as inscrições para a décima sexta edição do Programa Jovens Embaixadores, intercâmbio estudantil de três semanas nos Estados Unidos, vão até 9 de agosto de 2017. Jovens da rede pública brasileira de 15 a 18 anos, que são exemplos em suas comunidades por meio de sua liderança e voluntariado, excelência acadêmica e conhecimento da língua inglesa, são convidados a se candidatar.

 

“O programa me ajudou a descobrir que tipo de pessoa eu quero ser na minha comunidade e como posso ajudar o meu país a seguir em frente”, disse Dayane Martins dos Santos, 18 anos, do Distrito Federal e participante do Programa Jovens Embaixadores 2017.

 

Assista ao vídeo promocional de 2018: https://youtu.be/H7dBtOV3RsA

 

Inscrições: www.facebook/jovensembaixadores ou http://www.jovensembaixadores.org/2018

 

Sobre o Programa Jovens Embaixadores:


Foi criado pela Embaixada dos Estados Unidos no Brasil em 2002 e o primeiro grupo viajou em 2003. Em 2010 o programa passou a ser reproduzido em todos os países do continente americano e foi criado um programa inverso para  jovens norte-americanos representarem os EUA na América Latina. Desde 2003, 517 jovens brasileiros já participaram do programa. Os parceiros nessa iniciativa são: o Conselho Nacional de Secretários de Educação (CONSED) e as Secretarias Estaduais de Educação, a rede de Centros Binacionais Brasil-Estados Unidos, e também as empresas FedEx, MSD, Microsoft, Bradesco, IBM e a Boeing Brasil.

 

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.