Em visita ao Vaticano, o presidente sul-coreano entregou ao Papa um convite do líder norte-coreano para que o Pontífice visite Pyongyang

Em visita ao Vaticano, o presidente sul-coreano Moon Jae-In entregou ao Papa Francisco um convite do líder norte-coreano Kim Jong-Un para que o Sumo Pontífice visite Pyongyang.

Segundo um comunicado da presidência sul-coreana, Moon, que é católico, também apelou ao Papa para que deseje Paz, reconciliação e prosperidade para a península coreana. Uma mensagem semelhante à transmitida na véspera na Basílica de São Pedro, durante uma missa conduzida pelo cardeal Pietro Parolin, secretário de Estado do Vaticano.

A eventual visita do líder da Igreja Católica à Coreia do Norte constituiria um novo passo no processo de abertura do regime de Kim Jong-Un, depois do encontro histórico com Donald Trump em Singapura, em Junho, e das três cimeiras intercoreanas realizadas este ano, com um compromisso assumido de trabalhar para a desnuclearização da península coreana.

Segundo as contas do Vaticano, haveria cerca de 55.000 católicos na Coreia do Norte antes da guerra de 1950-53. Desde então, o regime proibiu os sacerdotes de se instalarem de forma permanente no país e as agências religiosas estimam que o número de fieis tenha caído para menos de quatro mil.

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.