Dia Internacional da ioga reúne centenas de pessoas em aula no centro de Brasília.Apoio Embaixada da Ìndia

Em Brasília, a  dia internacional da ioga foi comemorado com uma aula pública em que participaram mais de 500 professores e instrutores da cidade, no pátio do Museu da República, no centro da capital federal.

Embaixada da India:

“A ioga oferece inúmeras recompensas, melhora nossa saúde, auxilia nosso desempenho no local de trabalho e nos assegura paz de espírito”, disse o diplomata A. Koventhan, encarregado de Negócios da Embaixada da Índia, em Brasília. Koventhan, que abriu abriu a aula pública, lembrou que o Dia Internacional da Ioga foi criado pela Assembleia da ONU em 2014, quando uma proposta feita pelo primeiro-ministro da India, Narendra Damodardas Modi, foi aprovada.Também presente na abertura do evento, a secretária de Turismo do Distrito Federal, Vanessa Mendonça, disse esperar que Brasília seja a capital brasileira de ioga. Segundo ela, milhares de pessoas são seguidoras da ioga na capital federal.

“A ioga já é o maior movimento de massa do país [que atua em favor] da saúde pública”, afirmou o diplomata. Ele observou que o Ministério da Saúde já aprovou a realização de 10 ações integrativas no Sistema Único de Saúde (SUS), com base na prática da ioga. Com isso, conforme disse Koventhan, será possível oferecer para todos, “seja para um filho esperançoso, um jovem aspirante, um pai ou idosos [uma prática] que permita a harmonia com o ambiente em que vivemos”.

Koventhan disse que “é motivo de orgulho para a Índia”, berço da ioga, que essa arte milenar seja hoje praticada e seguida em mais de 200 países. Ele observou que monge hindu Swami Vivekananda foi o responsável pela popularização da ioga no Ocidente. Vários jornalistas compareceram ao evento.

:

Texto adaptado de Agência Brasil- José Romildo

Fotos:Fabiana Ceyhan

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.