Um ano após terremotos, ONU garante resposta contínua para a Turquia e Síria

Agências de auxílio dizem haver mais de 43 mil deslocados pelo desastre

O subsecretário-geral das Nações Unidas para os Assuntos Humanitários assegurou o apoio contínuo aos afetados pelos terremotos que há um ano mataram mais de 55 mil pessoas na Síria e Turquia.

Mais de 50 mil pessoas perderam a vida apenas em território turco e outras 5,9 mil na Síria. Segundo Martin Griffiths, milhares de famílias ainda se recuperam do impacto da destruição de 6 de fevereiro de 2023. Sobreviventes lidam com as perdas e o trauma.

Milhares de casas e edifícios públicos destruídos

O coordenador humanitário destacou que mais de 43 mil deslocados pelos tremores ainda não regressaram à casa no noroeste sírio. Deste número, cerca de 40 mil vivem em 70 centros de acolhimento e 3 mil em acampamentos.

A Organização Mundial da Saúde, OMS, indicou que o desastre é um dos maiores ocorridos na região nos últimos tempos, devido aos milhares de feridos e a destruição de milhares de casas e edifícios públicos, incluindo hospitais.

Em toda a Síria, quase 7,5 milhões de menores carecem de assistência
© Unocha
Em toda a Síria, quase 7,5 milhões de menores carecem de assistência

A Turquia é elogiada pela ação das autoridades em coordenar muitas evacuações médicas e criar hospitais de campanha para prestar cuidados aos feridos nas zonas afetadas.

Crise provocada pelo conflito

Os sismos atingiram comunidades sírias que já tinham sido fortemente abaladas pela crise provocada pelo conflito de 13 anos.

Para o Fundo da ONU para a Infância, Unicef, mesmo com a atual crise humanitária mais ampla foi possível entregar um certo nível de apoio. Mas o conflito e a crise colocam em risco a vida e o bem-estar das crianças.

Em toda a Síria, quase 7,5 milhões de menores carecem de assistência. Já na Turquia o total de crianças precisando de serviços essenciais chega a 3,2 milhões. O Unicef planeja chegar a 1,7 milhão das crianças mais vulneráveis ​​em 2024.

A Agência da ONU para Refugiados, Acnur, estima que 3,4 milhões de pessoas buscam abrigo na Turquia.  Os tremores impactaram uma região que abrigava cerca de 1,75 milhão.

O Fundo da ONU para a População, Unfpa, disse que centenas de milhares de mulheres e meninas turcas e sírias ainda enfrentam perigo, não têm casa adequada e nem serviços de saúde ou proteção suficientes para atender suas necessidades.

As informações são da ONU News.

Compartilhe
Fabiana Ceyhan

Fabiana Ceyhan

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.