Scioli: “O gasoduto para o Brasil será o projeto binacional mais importante da história”

Brasília - O embaixador argentino Daniel Scioli disse esta manhã que o futuro gasoduto que integrará Vaca Muerta ao sul do Brasil será "o projeto binacional mais importante da história" e avaliou que "estamos avançando para que comece a se materializar antes. 2023, com múltiplos benefícios para o nosso país e também gerando milhares de empregos ”.
   
 Em declarações à agência oficial de notícias da República Argentina Télam, Scioli manifestou estar perante “a segunda fase da minha gestão como embaixador aqui, visando estritamente uma implantação comercial, depois de ter conseguido numa primeira fase reorientar a relação política com o Brasil , que quando chegamos se encontrava em um momento de divergências ”, e nesse sentido, indicou que“ a missão que o presidente Alberto Fernández me confiou era ter a melhor relação possível ”com o governo Bolsonaro.
    
O embaixador também antecipou que várias autoridades argentinas chegarão ao Brasil nos próximos dias, entre elas o secretário de Assuntos Estratégicos, Gustavo Beliz, que no dia 1º de dezembro se reunirá com seu homólogo brasileiro, Flavio Viana Rocha - ocupa um lugar estratégico em seu governo e está muito próximo de Bolsonaro- com uma agenda ampla e com o Gasoduto como um dos temas centrais da conversa. O ministro da Agricultura, Pecuária e Pesca, Julián Domínguez também viajará para se encontrar com sua homóloga, Tereza Cristina, no âmbito do comércio agroalimentar que os dois países vêm realizando.
“Conseguimos resolver 49 entraves comerciais que impediam a chegada de produtos argentinos e agora pretendemos avançar em maiores exportações desse setor”, disse Scioli. Em dezembro próximo, também será realizada no Brasil a cúpula dos presidentes do Mercosul, que contará com a presença do presidente argentino, Alberto Fernández. “Será a oportunidade de aprofundar as relações”, antecipou Scioli sobre o encontro em que o Brasil entregará a presidência pro tempore ao Paraguai.

Por fim, Scioli lembrou que, desde sua chegada ao Brasil, aquele país "voltou a ser o primeiro parceiro comercial da Argentina", além disso, "alcançamos as maiores exportações dos últimos sete anos; Catorze câmaras bilaterais de indústria e comércio foram formadas; Tem havido uma grande articulação com ministérios de ambos os governos com uma agenda positiva que se reflete com resultados contundentes ”.

Dia da Amizade Argentino-Brasileira

“Chegamos ao dia 1º de dezembro com uma relação fecunda para os dois países, positiva em relação às necessidades argentinas e às respostas que encontramos aqui, e nesse dia vamos homenagear o ex-presidente José Sarney por aquele histórico encontro que teve com Raúl Alfonsín quem lançou as bases do Mercosul ”, concluiu o Embaixador.

Exportação de energia

Hoje, o Brasil importa recordes históricos de energia da Argentina. Entre janeiro e outubro, o Brasil comprou US $ 670 milhões da Argentina, um aumento de 7.503,9% em relação ao mesmo período do ano passado.
Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.