ONU recebe US$1 bi de Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos para resposta à crise no Iêmen

O secretário-geral da ONU, António Guterres, manifestou profunda gratidão pelos 930 milhões de dólares fornecidos na terça-feira (27) por Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos para o Fundo Humanitário do Iêmen.

Na segunda-feira (26), três anos depois de uma coalizão liderada pela Arábia Saudita intervir na guerra no país, Guterres disse que a escalada militar não é solução para o conflito, e pediu contenção para as partes envolvidas.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, manifestou sua profunda gratidão pelos 930 milhões de dólares fornecidos na terça-feira (27) por Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos para o Fundo Humanitário do Iêmen.

“Gostaria de aproveitar esta ocasião para pedir que todos os demais doadores que se reunirão em Genebra na semana que vem tenham a mesma generosidade” demonstrada pelos dois países, disse o chefe da ONU a jornalistas na sede das Nações Unidas em Nova Iorque, após reunião com o príncipe herdeiro Mohamad Bin Salman Al Saud, da Arábia Saudita.

“Esses recursos cobrem quase um terço dos 2,96 bilhões de dólares necessários para implementar o Plano de Resposta Humanitária para o Iêmen em 2018, que permitirá às Nações Unidas e seus parceiros ajudar a aliviar o sofrimento de milhões de pessoas vulneráveis no país”, disse o comunicado emitido pelo gabinete de Guterres, após a assinatura de um memorando de contribuições voluntárias.

Mais de 22 milhões de pessoas no Iêmen precisam de ajuda humanitária ou proteção, incluindo 2 milhões que estão deslocados internamente devido ao conflito entre o governo e forças rebeldes. No início de abril (3), doadores se reunirão em uma conferência humanitária em Genebra, na Suíça.

Em sua reunião com o príncipe, que também é primeiro vice-primeiro e ministro da Defesa, Guterres disse que “dar àqueles em necessidade é o pilar do islamismo”, lembrando que dois terços dos refugiados são muçulmanos e estão sendo recebidos por países muçulmanos.

O secretário-geral da ONU e o príncipe herdeiro discutiram as obrigações de todas as partes no conflito diante da lei humanitária internacional para proteger civis e infraestrutura, e a necessidade latente de acesso humanitário no país. Pediu ainda que todos os portos iemenitas permaneçam abertos tanto para movimento humanitário como comercial.

Eles também discutiram a necessidade de as partes no conflito trabalharem rumo a um acordo político negociado por meio de diálogo inclusivo. Guterres disse que a ONU está pronta para trabalhar junto com a Arábia Saudita rumo a esses objetivos.

ONU Brasil

 

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.