ONU Brasil lembra o legado de Bertha Lutz, essencial para menção à igualdade de gênero na Carta das Nações Unidas

Ela integrou delegação do Brasil na Conferência que fundou a ONU, em 1945

Em suas redes sociais, a ONU Brasil destacou esta semana a inclusão da igualdade de direitos de homens e mulheres na Carta da ONU. O documento, lançado em 1945, criou as Nações Unidas, foi fruto da insistência de diplomatas latino-americanas lideradas pela cientista brasileira Bertha Lutz, que enfrentou forte oposição das delegações norte-americana e britânica.

Essa foi a conclusão de pesquisadoras da Universidade de Londres, que tentam “reescrever a história” e dar o devido crédito às diplomatas do Sul, responsáveis pela inserção do tema da igualdade de gênero em um dos mais importantes tratados internacionais do século XX.

A reportagem produzida pelo Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio) conta esta história.

Compartilhe
Fabiana Ceyhan

Fabiana Ceyhan

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.