Ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, apresenta metas diplomáticas para 2024

País continuará comprometido com a abertura e a inclusão, fortalecendo e expandindo sua rede de parcerias globais

O ministro das Relações Exteriores chinês, Wang Yi, apresentou o trabalho diplomático da China para 2024, dizendo que o país será sempre confiante e autossuficiente e cumprirá os seus deveres como um grande país responsável.

Wang fez as declarações ao discursar em um simpósio sobre a situação internacional e as relações exteriores da China em 2023. Este ano marca o 75º aniversário da República Popular da China e é crucial para alcançar os objetivos e tarefas do plano quinquenal “14º Plano Quinquenal da República Popular da China”.

O chanceler disse que a China dará pleno vapor ao papel de liderança estratégica da diplomacia do chefe de Estado e fará todos os esforços para garantir o sucesso de eventos, incluindo o Fórum de Cooperação China-África, o Fórum Boao para a Ásia, a Exposição Internacional de Importação da China e o Fórum de Ação Global para Desenvolvimento Compartilhado.

A China salvaguardará firmemente sua soberania, segurança e interesses de desenvolvimento e lutará por um ambiente externo favorável para construir um novo padrão de desenvolvimento e alcançar um desenvolvimento de alta qualidade, disse Wang, acrescentando que o país assumirá firmemente suas responsabilidades nas questões importantes relativas à unidade, cooperação e direitos legítimos dos países em desenvolvimento e nas grandes questões relativas ao futuro e ao destino da humanidade e à direção do desenvolvimento mundial.

O ministro Wang enfatizou que a China continuará comprometida com a abertura e a inclusão e fortalecerá e expandirá a rede de parcerias globais.

Especificamente, apontou que será implementado o consenso alcançado pelos presidentes da China e dos Estados Unidos em São Francisco e aprofundará a confiança mútua estratégica e a cooperação mutuamente benéfica entre China e Rússia para consolidar sua parceria estratégica abrangente de coordenação na nova era.

A China aumentará os intercâmbios de alto nível e a comunicação estratégica com a União Europeia (UE) para promover o crescimento constante e sustentado das suas relações. O país continuará a aumentar a amizade, a confiança mútua e a convergência dos interesses com seus vizinhos, a trabalhar lado a lado com outros países em desenvolvimento, a se unir aos países do BRICS e a promover a construção de um novo tipo de relações internacionais, acrescentou.

O país asiático também implementará ativamente a Iniciativa de Civilização Global, promoverá os valores comuns da humanidade, promoverá o intercâmbio e o aprendizado mútuo entre as civilizações e aumentará a compreensão mútua e a amizade entre as pessoas de todos os países.

Além disso, Wang destacou que a China sempre advogará a equidade e a justiça, defenderá a construção de um mundo multipolar igual e ordenado, praticará o multilateralismo genuíno, promoverá a democracia nas relações internacionais e defenderá a igualdade de todos os países.

Apelando a todos os países para que defendam conjuntamente os propósitos e princípios da Carta das Nações Unidas, salvaguardem as normas básicas universalmente reconhecidas que regem as relações internacionais e participem na reforma e construção do sistema de governação global, Wang destacou que a China implementará plenamente a Iniciativa de Segurança Global, defenderá a equidade e a justiça, promoverá ativamente conversações de paz, tomará parte construtiva na resolução do conflito Israel-Palestina, da crise da Ucrânia e de outras questões de conflito globais e regionais e fornecerá mais bens públicos conducentes à paz e ao desenvolvimento mundiais.

Wang prometeu que a China continuará a buscar uma cooperação vantajosa para todos e a promover ativamente uma globalização econômica inclusiva que beneficie a todos, comprometendo-se a se opor firmemente a todas as formas de unilateralismo, protecionismo e antiglobalização, a continuar a promover a liberalização e facilitação do comércio e do investimento, a esforçar-se para resolver os problemas estruturais que impedem o desenvolvimento sólido da economia mundial e a manter a estabilidade e a fluidez das cadeias industriais e de suprimentos globais.

A China promoverá a implementação da Iniciativa de Desenvolvimento Global, aumentará seu insumo na cooperação global para o desenvolvimento, ajudará os países em desenvolvimento a melhorarem sua capacidade de desenvolvimento independente e tornará a globalização mais aberta, inclusiva, benéfica para todos e equilibrada.

Também levará adiante as resoluções do 3º Fórum do Cinturão e Rota para Cooperação Internacional, melhorará a qualidade da cooperação, expandirá as áreas de cooperação e continuará a fornecer novas oportunidades para o mundo com o novo desenvolvimento da China.

As informações são da Agência Xinhua.

Compartilhe
Fabiana Ceyhan

Fabiana Ceyhan

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.