Ministro Conselheiro da Embaixada da China no Brasil concede entrevista a jornalistas

O www.brasiliainfoco.com participou da coletiva de imprensa em tempo real e da conversa com jornalistas por meio de videoconferência nesta 6ª feira.

Qu Yuhui afirmou que as relações entre os dois países são importantes para os dois lados superarem os estragos causados pela pandemia. Também diz que declarações irresponsáveis não interferem na cooperação para conter o coronavírus. “Precisamos de união e solidariedade em vez de lançar acusações irresponsáveis sobre os outros”, declarou. Lamentamos muito sobre pessoas que só querem atrapalhar com teorias conspiratórias.

Temos um bom diálogo com o Ministério de Relações exteriores e com a Anvisa, a fim de fornecer informações . O Presidente Bolsonaro e o Presidente Xi Jinping falaram por telefone sobre projetos de cooperação bilateral entre Brasil e China . Sabemos que as declarações racistas não representam todo o povo brasileiro, que é , na verdade, um povo amigo e acolhedor, concluiu.

A China, até o momento tem feito o possível para ajudar o mundo com informações. Já foram feitas mais de 70 video-conferências entre médicos chineses e cientistas da área de saúde e médicos estrangeiros. Já foram enviadas 3.8 bilhões de máscaras , 16 mil respiradores e 3 milhões de testes para países em estado de emergência. Estamos trabalhando em busca de vacinas e tratamentos. A Embaixada brasileira em Pequim tem trabalhado para garantir que aviões brasileiros busquem cargas de insumos na China. Estima-se que 40 aviões irão buscar produtos lá. Os trâmites estão sendo feitos em Pequim, afirmou .

O ministro-conselheiro Qu Yuhui, disse que há “declarações irresponsáveis” relacionando seu país ao coronavírus, que a China agiu rapidamente quando soube da gravidade da doença e que passou todas as informações necessárias a OMS.

O diplomata afirmou também que as dúvidas sobre a transparência da China no combate ao coronavírus são levantadas mais por políticos do que por cientistas.

Questionado sobre os estudos com a Cloroquina na China:

A China e os cientistas chineses não recomendam o uso de nenhum remédio sem a devida comprovação em testes em humanos, sou apenas um diplomata não posso falar de saúde e ciência, mas ainda não existe a cura comprovada afirmou o diplomata chinês.

Sobre o isolamento social:

Ministro Conselheiro da Embaixada e a Jornalista Fabiana Ceyhan

Os números do país no combate à doença são bons porque o governo e a população chinesa fizeram grandes esforços. “Na nossa experiência, isolamento rigoroso é essencial. “Não estou olhando com bons olhos as medidas de afrouxamento tomadas por alguns Estados aqui no Brasil. Aqui a curva ainda está em extensão”, disse ele se referindo às medidas restritivas tomadas para conter o avanço da doença.

“Não depende de quem vai fazer melhor, mas de quem fizer pior. Só quando o último país sair da pandemia podemos declarar vitória nesta guerra”, afirmou. Caso haja muitos casos em 1 país quando outros tiverem controlado o vírus, ele pode ser importado novamente.Ele comparou os esforços de contenção da doença a 1 jogo de basquete. “É como se o 1 tempo fosse jogado pela China, o 2º pela Europa, o 3º pelos EUA e o 4º por América Latina e África”.

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.