Mais de 30 agências brasileiras e norte-americanas participaram da reunião que visa o avanço da cooperação científica e tecnológica entre EUA e Brasil

Quinta reunião da Comissão Mista Brasil-EUA sobre Ciência e Tecnologia realizada em Brasília

Brasília, 6 de março de 2020: Nos dias 5 e 6 de março de 2020, o Brasil e os Estados Unidos realizaram a quinta reunião da Comissão Mista Brasil-EUA sobre Ciência e Tecnologia em Brasília para aprofundar a colaboração em áreas prioritárias para o benefício dos dois países. O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marcos Pontes, e o diretor do Instituto Nacional de Normas e Tecnologia, Dr. Walter Copan, presidiram a reunião que contou com discussões bilaterais dos grupos de trabalho sobre temas que vão desde a observação do planeta Terra, STEAM (ciência, tecnologia, engenharia, artes e matemática) e avanço nas áreas de pesquisas de física de partículas. 

Representantes de mais de 30 agências brasileiras e norte-americanas participaram da reunião que visou o avanço da cooperação científica e tecnológica com o Brasil. Entre as participantes: o instituto Nacional de Normas e Tecnologia (NIST), o departamento de Energia (DOE), o departamento de Saúde e Serviços Humanos (HHS), o departamento de Estado (DOS), os institutos Nacionais de Saúde (NIH), de administração Nacional Oceânica e Atmosférica (NOAA), a fundação Nacional de Ciência (NSF) e unidades de pesquisa e engenharia do serviço militar.

Durante a comissão, as delegações dos EUA e do Brasil adotaram um plano de trabalho para aprimorar a já excelente cooperação em STEAM. A FAPESP e a Fermilab assinaram um memorando de entendimento para aprofundar a cooperação científica e técnica em Física de Altas Energias. A Unicamp e Fermilab também assinaram um acordo de pesquisa e desenvolvimento cooperativo para o sistema criogênico LNBF de última geração. O acordo Brasil-EUA de Ciência e Tecnologia entrou em vigor em 1986 e estabeleceu a Comissão Mista Brasil-EUA de Cooperação em Ciência e Tecnologia. As delegações emitiram uma declaração conjunta destacando a cooperação discutida e desenvolvida durante as reuniões.

O diretor de Políticas de Ciência e Tecnologia da Casa Branca, Dr. Kelvin Droegemeier, afirmou: “Estou ansioso para saber mais sobre as discussões da delegação com o Brasil sobre o ambiente de pesquisa e discutir valores compartilhados e colaboração entre nossas comunidades científicas e baseando-se nessas conversas frutíferas para fortalecer uma relação já acolhedora”.

Durante suas observações na abertura da reunião da Comissão Mista, o Dr. Walter Copan disse que “o governo Trump reconhece que as ações tomadas hoje para fortalecer a pesquisa e o desenvolvimento mostrarão o caminho a seguir. Nossa parceria com o Brasil é vital para o desenvolvimento de soluções de segurança, saúde e segurança econômica para os dois países. Estou ansioso pelas muitas maneiras que os Brasil e os EUA continuarão a aprimorar nosso forte relacionamento científico e tecnológico!”

Fifth Meeting of the Brazil-U.S. Joint Commission on Science and Technology Held in Brasilia

Brasilia, March 6, 2020:  On March 5-6, 2020, Brazil and the United States held the Fifth Meeting of the Brazil-U.S. Joint Commission on Science and Technology Cooperation in Brasilia to deepen collaboration in key priority areas for the benefit of both countries.  Marcos Pontes, Minister of Science, Technology and Innovation, and Dr. Walter Copan, Director of the National Institute of Standards and Technology, chaired the meeting, which featured bilateral working group discussions on topics ranging from Earth observation and science, technology, engineering, arts and mathematics (STEAM) fields to advanced manufacturing and particle physics research. 

Representatives from more than 30 Brazilian and American agencies participated in the meeting, including the National Institute of Standards and Technology (NIST), Department of Energy (DOE), the Department of Health and Human Services (HHS), the Department of State (DOS), National Institutes of Health (NIH), the National Oceanic and Atmospheric Administration (NOAA), the National Science Foundation (NSF), and research and engineering units of the military service branches to advance science and technology cooperation with Brazil.

During the Commission, the delegations from the United States and Brazil adopted a working plan to enhance already excellent cooperation in STEAM.  FAPESP and Fermilab signed an MOU to deepen scientific and technical cooperation in High Energy Physics and UNICAMP and Fermilab also signed an I-CRADA for the state-of-the-art LBNF cryogenics system.  The Brazil-U.S. Science and Technology Agreement entered into force in 1986 and established the Brazil-U.S. Joint Commission on Science and Technology Cooperation.  The U.S. and Brazil delegations issued a Joint Statement highlighting the cooperation discussed and developed during the meetings.

White House Office of Science and Technology Policy Director Dr. Kelvin Droegemeier stated: “I am looking forward to hearing more about the delegation’s conversations with Brazil on the research environment and discussing shared values and collaboration between our science communities, and building upon these fruitful conversations to strengthen an already welcoming relationship.”

During his remarks at the opening of the Joint Commission meeting, Dr. Walter Copan said that “the Trump administration recognizes that actions taken today to strengthen research and development will pave the road ahead.  Our partnership with Brazil is vital to develop solutions for safety, health, and economic security for both nations.  I look forward to the many ways that the U.S. and Brazil will continue to enhance our strong science and technology relationship!”

Com informações da Embaixada Americana no Brasil

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.