Inscrições para o Fórum Brasil-Países Árabes estão abertas

Conferência econômica será realizada pela Câmara Árabe no dia 14 de abril, em São Paulo, sob o tema ‘O futuro é agora’. Objetivo é consolidar parcerias.

Câmara Árabe abre inscrições para o Fórum Econômico Brasil-Países Árabes

Divulgação

Câmara de Comércio Árabe Brasileira abriu inscrições para o Fórum Econômico Brasil-Países Árabes, encontro que a entidade promove em 14 de abril, no Hotel Unique, em São Paulo, com o objetivo de fomentar parcerias entre brasileiros e árabes em diferentes áreas.

A fórum deste ano tem como título “O futuro é agora” e representa um passo adiante em relação à última edição, ocorrida em abril de 2018, que teve como tema “Construindo o futuro”. “O fórum de 2018 demonstrou o potencial que há para reforçar as relações entre brasileiros e árabes, agora é o momento de concretizar parcerias e torná-las mais constantes”, afirmou o presidente da Câmara Árabe, Rubens Hannun.

Sérgio Tomisaki/ANBA

O então presidente do Brasil, Michel Temer, no fórum de 2018

A conferência vai reunir investidores, empresários, representantes da sociedade civil, autoridades, diplomatas e outros profissionais do Brasil e de países árabes, além de lideranças de instituições multilaterais. Alguns dos palestrantes já confirmados são o secretários-gerais da Liga dos Estados Árabes, Ahmed Aboul Gheit, e da União das Câmaras Árabes, Khaled Hanafy.

A Liga é a entidade formada pelos governos das 22 nações árabes, assim como a Organização dos Estados Americanos (OEA) é para os países das Américas. A União é a principal instituição de representação empresarial do Oriente e Norte da África.

“Os empresários vão poder conversar diretamente com potenciais parceiros”, disse Hannun. “Nós vamos colocar frente a frente os fornecedores de determinada área com os compradores deste mesmo setor”, destacou.

Entre os temas que serão discutidos nos painéis estão economia internacional, segurança alimentar, investimentos, tecnologia, indústria 4.0, comércio, grandes atrações internacionais, sustentabilidade, mercado halal, infraestrutura, logística e turismo.

Hannun lembrou que a segurança alimentar é um assunto da maior importância para ambos os lados, o Brasil como produtor de alimentos e os árabes como consumidores que temem a escassez, dado o clima árido que domina a região.

O aumento dos negócios nesta cadeia de fornecimento leva a outras oportunidades, como investimentos em infraestrutura e logística para facilitar o trânsito de mercadorias, assim como o desenvolvimento e a adoção de novas tecnologias para facilitar os negócios, e não só na área de alimentos.

Outros interesses comuns das duas partes são as grandes atrações internacionais, como a Expo 2020, que ocorre este ano em Dubai, a Copa do Mundo de 2022, no Catar, as corridas de Fórmula 1 no Bahrein e em Abu Dhabi, os grandes festivais de cultura e entretenimento que estão sendo realizados na Arábia Saudita, entre outras.

Hannun lembrou que o Brasil tem ampla experiência nestas iniciativas, pois já recebeu a Copa do Mundo, as Olimpíadas, recebe a Fórmula 1 há quase 50 anos e por aqui proliferam festivais como o Rock in Rio. Nesse sentido, o País e suas empresas têm muito a oferecer.

“E tudo isto tem que ser baseado numa economia sustentável, usando energias renováveis”, ressaltou o executivo, lembrando mais uma área de grande interesse nas duas regiões.

No fórum haverá ainda o lançamento de um prêmio para jovens empreendedores, que será entregue no segundo semestre.

Fonte : Anba

Serviço

Fórum Econômico Brasil-Países Árabes: o Futuro é Agora
Data: 14 de abril de 2020, a partir das 8h30
Local: Hotel Unique, Av. Brigadeiro Luís Antônio, 4700, São Paulo, SP
Para mais informações, acesse o site do evento aqui
Para se inscrever, clique aqui

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.