Entrevista com o embaixador do Irã Hossein Gharibi-“Sempre dissemos que as sanções são injustas, mas o coronavírus revelou essa injustiça ao mundo”

Embaixador do Irã no Brasil Hossein Gharibi

1- Por favor, explique aos nossos leitores sobre a situação no Irã hoje.

O Irã, como o Brasil, está lidando com essa pandemia. Ampliamos todos os elementos de resposta à crise e melhoramos a coordenação entre várias agências governamentais e outros órgãos domésticos, juntamente com a sociedade civil e o povo . A coordenação é feita através de uma sede central sob o comando direto do Presidente Rouhani.

O número total de pacientes com coronavírus no país aumentou para 104.691 , com 6.541 mortos em 8 de maio. Certas restrições foram aplicadas e as pessoas têm sido extremamente cooperativas, o que tem sido o principal impulsionador de realizações tangíveis nos dias de hoje, já que o número de mortes diárias e novos casos caíram muito.

O governo anunciou medidas econômicas destinadas a aliviar a pressão sobre famílias e empresas. Isso inclui a concessão de alívio da dívida a bancos e outras instituições financeiras, descontos fiscais e um pacote de ajuda recém-anunciado para famílias, bem como onze categorias de pequenas empresas.

Empréstimos com juros baixos estão sendo pagos para funcionários atingidos por coronavírus, à medida que o país se esforça para mitigar os impactos econômicos da doença.

Poderia ter sido muito melhor se o governo Trump após a retirada unilateral do acordo multilateral sob o Conselho de Segurança da ONU, não tivesse imposto sanções indiscriminadas contra o povo iraniano. As sanções continuaram mesmo depois da decisão clara do Tribunal Internacional de Justiça, em 3 de outubro de 2018, na qual os juízes do Tribunal ordenaram aos EUA “que suspendessem medidas restritivas relacionadas ao comércio humanitário, alimentos, medicamentos e aviação civil”. Não obstante, o Irã conseguiu conter relativamente um surto de coronavírus.

2- O Irã está em lockdown?

O Irã intensificou suas medidas de segurança preventiva. O fechamento de escolas e universidades foi estendido. O governo também impôs restrições inteligentes às viagens. A maioria das pequenas empresas, restaurantes e hotéis e outras indústrias de serviços permaneceram fechadas por cerca de dois meses durante o que costumava ser a estação mais lucrativa, por volta do ano novo persa.

Todas as mesquitas e santuários sagrados, onde centenas de milhares de pessoas se reúnem para oração e rituais religiosos, estão fechadas. Tem sido o principal motor de realizações tangíveis nos dias de hoje, quando dizemos que o número de mortes diárias e novos casos diminuíram continuamente.

3- As comunidades estrangeiras estão ajudando o Irã?

Alguns países, incluindo China, Turquia, Alemanha, França, Reino Unido, Japão, Catar, Emirados Árabes Unidos, Uzbequistão, Azerbaijão e Rússia enviaram pacotes de ajuda. Agradecemos sinceramente a todos eles. Atualmente, somos auto-suficientes em alguns itens de saúde e até prontos para exportar para vários países. Nesta semana, apenas 40.000 kits de teste foram enviados para a Alemanha.

È fundamental nesta fase ajudar pessoas e empresas fortemente afetadas pela pandemia. Os pacotes de ajuda devem ajudar as pessoas a se recuperarem parcialmente dessa situação. A melhor ajuda de parceiros estrangeiros é pressionar a Administração dos EUA a encerrar sua política de sanções e permitir que nosso governo apoie seu povo com seus próprios recursos. Os EUA até bloquearam o pedido do Irã de pedir emprestado dinheiro do FMI para ajudar pessoas sob fortes impactos do coronavírus.

4- O sistema de saúde iraniano está lidando com a demanda de pacientes com Covid-19?

Um plano nacional de mobilização foi implementado em todo o país para combater a pandemia e tratar os pacientes com mais eficácia. O plano inclui todos os 17.000 centros de saúde e os 9.000 centros médicos e clínicos em todas as cidades, áreas suburbanas e aldeias. Também inclui quarentena doméstica, observando que as pessoas infectadas receberão os medicamentos e conselhos necessários. Locais públicos estão sendo desinfetados e as entradas de vilas e cidades infectadas estão sendo controladas para diagnosticar e colocar em quarentena os casos infectados. A Organização Mundial de Saúde (OMS) diz que a resposta do Irã ao vírus até agora está sendo boa.

5- Por favor, use este espaço para enviar sua mensagem ao mundo sobre a situação no Irã.

Sempre dissemos que as sanções são injustas, mas o coronavírus revelou essa injustiça ao mundo. As sanções impediram amplamente que bancos e empresas internacionais participassem de transações comerciais ou financeiras com o Irã, inclusive para operações humanitárias, devido ao medo de desencadear sanções secundárias dos EUA sobre si mesmas. Embora a assistência médica do Irã esteja sendo comprometida devido às sanções, ela tem sido bem-sucedida na luta contra o coronavírus.

No entanto, precisamos estar vigilantes, pois o ressurgimento da pandemia pode ter um impacto muito mais devastador e o mundo não pode ser indiferente a essa possibilidade.


1- Please explain to our readers about the situation in Iran Today.

Iran like Brazil is coping with this pandemic. We have scaled up all elements of response to the crisis and improved coordination between various government agencies and other domestic bodies together with civil society and the people. Coordination is done through a central headquarters under the direct command of President Rouhani.

The total number of coronavirus patients in the country has risen to 104,691 people with 6,541 death tolls as of May 8th. Certain restrictions have been applied and people have been extremely cooperative which has been the main driver of tangible achievements these days as number of daily death and new cases have tremendously dropped.

The government has announced economic measures designed to ease the pressure on families and businesses. These include granting debt relief to banks and other financial institutions, tax rebates and the newly announced aid package for families as well as eleven categories of small businesses. Low-interest loans are being paid for coronavirus-hit employees as the country strives to mitigate the economic impacts of the disease.

It could have been much better had the Trump Administration following unilaterally withdrawal from the multilateral agreement under UN Security Council, not imposed indiscriminate sanctions against Iranian people. Sanctions has continued even after the International Court of Justice’s clear ruling on 3 October 2018 in which the Court judges ordered the U.S. “to lift restrictive measures linked to humanitarian trade, food, medicine and civil aviation.”  Notwithstanding, Iran has relatively managed to contain coronavirus outbreak.

2- Is Iran in a lockdown?

Iran has intensified its preventive safety measures. Closures of schools and universities have been extended. The government also imposed smart travel restrictions. Most small businesses, restaurants and hotels and other service industries had been closed for around two months during what was usually their most lucrative season, around the Persian New Year. 

All mosques and holy shrines where hundreds of thousands of people gather for prayer and religious rituals are closed down. It has been the main driver of tangible achievements these days when we say the number of daily death and new cases have decreased continuously.

3- Are the foreign communities helping Iran?

Some countries, including China, Turkey, Germany, France, UK, Japan, Qatar, the UAE, Uzbekistan, Azerbaijan, and Russia have sent aid packages. We are sincerely thankful to all of them. Currently, we are self-sufficient in some of health items and even ready to export to several countries. This week only 40,000 testing kits were shipped to Germany.

What is critical at this stage is to help people and businesses strongly hit by the pandemic. Aid packages should help people to partly recover from such worst situation. The best help from foreign partners is to pressure the U.S. Administration to end its cruel sanction policy and let our government to support its people from its own resources. The U.S. even blocked Iran’s application to borrow money from IMF to help people under strong impacts of coronavirus.  

4- Is the Iranian Health system coping with the demand of patients with Covid-19?

A national mobilization plan has been implemented across the country to fight against the pandemic and more effectively treat patients. The plan includes all the 17,000 health centers and the 9,000 medical and clinical centers in all cities, suburban areas and villages. It also includes home quarantine, noting that infected people will receive the necessary medicines and advice. Public places are being disinfected and the entries of infected towns and cities are being controlled to diagnose and quarantine the infected cases. The World Health Organization (WHO) says Iran’s response to the virus has so far been up to the mark.

5- Please use this space to send your message to the world about the situation in Iran.

We had always said the sanctions are unjust but coronavirus revealed this injustice to the world. The sanctions have largely deterred international banks and firms from participating in commercial or financial transactions with Iran, including for humanitarian transactions, due to the fear of triggering U.S. secondary sanctions on themselves. Although Iran’s healthcare is being compromised due to the sanctions, it has been successful in the fight against coronavirus.

However, we need to be vigilant as resurgence of the pandemic could have a much more devastating impact and the world cannot be indifferent towards this possibility.

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.