Embaixadores fotografam no Jardim Botânico

Embaixadores de 14 diferentes países participaram, nesta quarta-feira (3), de uma atividade diferente, promovida pela Secretaria de Relações Internacionais (Serinter), do Governo do Distrito Federal (GDF). Tendo como cenário o Jardim Botânico de Brasília (JBB), eles chegaram com câmeras fotográficas e celulares nas mãos para captar imagens que, em breve, farão parte de uma exposição tendo, como tema, o olhar de cada um deles sobre o espaço.

Embaixadores de 14 países fizeram fotos no Jardim Botânico de Brasília que, em breve, farão parte de uma exposição | Fotos: Maria Luisa Lourenço/Serinter-DF

A experiência faz parte do projeto “Viver Brasília: Uma Perspectiva Internacional”, da Serinter, que chega à segunda edição e tem como objetivo aprofundar a relação entre o corpo diplomático com a história e a cultura do DF. Desta vez, os embaixadores tiveram os 5 mil hectares do JBB para explorarem e clicarem os detalhes que mais os agradaram.

“Hoje, recebemos vocês, em nome do governador Ibaneis Rocha, para fazermos essa integração, importante e necessária”, afirmou o secretário de Relações Internacionais, Paco Britto. “O Jardim Botânico é um dos locais mais bonitos do DF, que tem de ser preservado, e que representa muito neste momento, em que o mundo clama pela preservação do meio ambiente. Espero que desfrutem bastante deste local”, completou.

A embaixadora da Suécia, Karin Wallensteen, fez fotografias em todos os espaços que passou e sentenciou: “É um lugar muito interessante para se visitar porque, além de ser ótimo para descansar e apreciar, é cientificamente importante para o conhecimento”

A visita foi acompanhada, ainda, pela diretora executiva do JBB, Aline De Pieri, e pelo diretor de Biodiversidade do local, Estevão do Nascimento. Para Aline, participar do projeto e apresentar o Jardim Botânico para os embaixadores foi uma grande oportunidade de promover a troca de conhecimento e a cooperação internacional em prol do meio ambiente.

“É uma satisfação receber essas visitas, um momento singular e de extrema importância para compartilhar com todos nossa paixão pela natureza e nossa missão de conservação e preservação da biodiversidade”, destacou. “Esperamos que a visita seja enriquecedora, inspiradora e proporcione recordações e experiências memoráveis”, concluiu a diretora do JBB.

Olhares atentos

Com uma câmera profissional nas mãos, a embaixadora da Suécia, Karin Wallensteen, não perdeu um só detalhe. Desde o início do trajeto, no orquidário – espaço onde ficam expostas as mais de 3 mil espécies da planta cultivada no Jardim Botânico – até o último espaço visitado, o Jardim Alameda das Nações e dos Estados, ela fez centenas de fotos. “É um lugar muito interessante para se visitar porque, além de ser ótimo para descansar e apreciar, é cientificamente importante para o conhecimento”, disse. “É um privilégio estar aqui e, além de tudo, é um projeto que contribui para melhorar a consciência de todos sobre a importância do meio ambiente”, complementou o encarregado de negócios da Embaixada de Cuba, Adolfo Curbello Castellano.

O secretário de Relações Internacionais, Paco Britto, representou o governador Ibaneis Rocha e já marcou um novo encontro com os embaixadores: “Esperamos receber todos de volta, com seus amigos e familiares, quando a exposição estiver pronta, para um novo encontro”

O Jardim Botânico de Brasília é uma área protegida que tem a missão de manter e constituir coleções de plantas, desenvolvimento de pesquisa, educação ambiental e lazer orientados para a conservação da biodiversidade. “Uma maravilha de lugar. Estou em Brasília há mais de cinco anos e, embora sempre venha aqui com minha família, hoje tive a oportunidade de conhecer um outro ângulo do Jardim Botânico”, afirmou a encarregada de negócios da Embaixada da Sérvia, Jelena Blazevic. Discurso endossado pelo embaixador do Gabão, Jacques Michel Moudoute-Bell: “Descobrimos espécies que existem em nosso país e que estão aqui no Brasil”. Ele reforça que a atuação do JBB na preservação ambiental encoraja a todos, especialmente aos mais jovens, a visitar o local.

“O Cerrado é o segundo maior bioma brasileiro e mostrá-lo para a comunidade internacional é importante para sua preservação, principalmente em relação à biodiversidade com grande endemismo que aqui ocorre. O contato com a natureza promove a sensibilização para com as questões ambientais, o que influencia na visão de preservar o meio ambiente cada vez mais”Estevão do Nascimento, diretor de Biodiversidade do Jardim Botânico

“É um lugar excelente para se conectar com a natureza, para reunir amigos e familiares para momentos tranquilos”, reforçou o embaixador da Nicarágua, Gadiel Osmani Arce Zepeda. “O Jardim Botânico de Brasília é sempre cheio de surpresas para desfrutarmos”, acrescentou o embaixador de Trinidad & Tobago, Gerard Greene.

No local, passam cerca de 300 mil pessoas por ano. Mais de 3 mil por fim de semana. Nesta quarta, dia útil, o Jardim Botânico tinha menos visitantes, dando oportunidade para que os embaixadores aproveitassem bem cada espaço e cada clique. “O silêncio faz com que você consiga escutar os sons dos pássaros, estou adorando a experiência”, destacou a embaixadora do Suriname, Angeladebie Roshni Annie Ramkisoen. “Só de andar pelo parque, me senti renovado, além do caráter educativo do passeio”, completou o embaixador do Zimbábue, Meshack Kitchen.

O Cerrado

O JBB é, predominantemente, composto por vegetação do Cerrado – o que foi destaque para o embaixador de Israel, Daniel Zonshine, que frisou, principalmente em seus cliques, a importância de conhecer melhor o bioma. “Essa é a paisagem de Brasília”, apontou. “Que momento único estar aqui onde a flora e fauna da cidade está toda reunida em um só lugar”, acrescentou o encarregado de negócios do Togo, Eyana Edjaide.

Encantados com a beleza do lugar, os vários representantes das embaixadas instaladas em Brasília registraram com alegria os momentos do encontro no JBB

“O Cerrado é o segundo maior bioma brasileiro e mostrá-lo para a comunidade internacional é importante para sua preservação, principalmente em relação à biodiversidade com grande endemismo que aqui ocorre. O contato com a natureza promove a sensibilização para com as questões ambientais, o que influencia na visão de preservar o meio ambiente cada vez mais”, pontuou o diretor de Biodiversidade do Jardim Botânico.

Jardins temáticos

Entre alguns dos espaços visitados ao longo do percurso de mais de 2 quilômetros, os jardins temáticos chamaram bastante a atenção dos diplomatas. Muitos deles, inclusive, criados e mantidos pelas próprias embaixadas. O que, durante a manhã, não passou despercebido pelos olhares atentos dos visitantes estrangeiros. “É a primeira vez que venho e o que Brasília fez com esse parque é muito considerável. Temos espaços similares no meu país, não tão bem planejados assim”, comparou o encarregado de negócios da Embaixada da Guiné Equatorial, Bienvenido Ebang Otogo Obono.

O embaixador do Quênia, Lemarron Ole Kanto, lembrou da parceria existente entre a Missão Diplomática e a Serinter. “Estou ansioso para expandir e aprofundar nosso relacionamento que nós já criamos ao plantar árvores aqui no Jardim Botânico em uma ocasião anterior. O Quênia já mantém essa parceria com o GDF”.

“Eu espero que um dos famosos jardins botânicos do Sri Lanka, os jardins botânicos do interior, possam fazer um tipo de acordo, para colaborar em um projeto com esse Jardim Botânico de Brasília. Estou trabalhando nisso a partir de hoje”, afirmou o embaixador do Sri Lanka, Sumith Dassanayake. Já o embaixador do Nepal, Nirmal Raj Kafle, disse esperar que haja, em breve, uma “troca de experiências de aprendizados” entre os dois países. “O Nepal é um país diverso em termos de fauna e flora e, nesta visita, pude ver que temos muito em comum”, finalizou.

As imagens captadas pelos embaixadores serão impressas e emolduradas para compor uma exposição, no próprio Jardim Botânico, ainda sem data prevista. “Esperamos receber todos de volta, com seus amigos e familiares, quando a exposição estiver pronta, para um novo encontro”, concluiu o secretário Paco Britto.

Fonte: Agencia Brasilia

Compartilhe
Brasília in Foco

Brasília in Foco