Embaixador do Uruguai se despede do Brasil após 9 anos de trabalho nas relações bilaterais

Carlos Amorim Tenconi esta no posto de Embaixador do uruguai no Brasil  desde 10 de junho de 2008.O simpático Embaixador recebeu na sede da Embaixada do Uruguai em Brasília inúmeros Embaixadores de outros países a presença foi realmente marcante e demonstrou o seu prestígio perante o mundo e o trabalho que exerceu nestes 9 anos no Brasil.O Uruguai é um dos principais parceiros estratégicos do Brasil na América do Sul. Os vínculos históricos, políticos e humanos entre os dois países permitem elevado grau de confiança mútua, que permeia todos os aspectos da relação bilateral. A cooperação entre os dois países é abrangente, perpassando os campos político, econômico, tecnológico e social.

Nos últimos meses os jornais brasileiros mostraram algumas insatisfações do país vizinho em relação a reforma trabalhista  que tramita no congresso brasileiro , o Uruguai é um grande parceiro brasileiro, vizinho fronteiriço e parceiro no Mercosul e naturalmente tem um cuidado especial com o que acontece no Brasil e na América do Sul.O Embaixador em seu discurso agradeceu os brasileiros pelo carinho e recepção e também aos colegas de outras missões diplomáticas estrangeiros finalizando seus trabalhos como Embaixador no Brasil no mês de setembro.

 

Acordos Internacionais (fonte guia do consumidor)

Desde 1991 o Uruguai faz parte, junto com a Argentina, Brasil e Paraguai, do Mercado Comum do Sul (MERCOSUL); processo ao qual em 2012 se incorporou a Venezuela. O processo de abertura regional foi completado com a assinatura de acordos internacionais em matéria de bens, serviços, compras públicas, investimentos e dupla tributação.

International Agreements

Além de uma localização privilegiada e um regime muito atrativo para o investimento, o Uruguai conta com treze acordos comerciais vigentes, que incluem preferência em bens, e com três acordos sobre serviços, tornando-o um ótimo ponto de entrada para mercados de grande importância econômica.
A reconhecida estabilidade política e social do país, sua solidez macroeconômica e a confiabilidade de seu sistema jurídico são garantia para quem decidir investir no país. Aproximadamente trinta acordos de promoção e proteção dos investimentos e treze acordos para evitar a dupla tributação fiscal ratificam esta decisão.