Embaixada dos EUA oferece curso de inglês online e gratuito na área de STEM


Oportunidade de melhorar as habilidades em língua inglesa e ciência. O curso será de 5 de junho a 3 de julho

Brasília, 31 de maio de 2017 – O Escritório de Educação e Cultura do Departamento de Estado dos EUA e a Universidade da Pennsylvania oferecem o curso MOOC (Massive Open Online Course), online e gratuito, para estudantes brasileiros interessados na área de STEM – Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática. Inscrições vão até 10 de junho de 2017. Inscreva-se aqui!https://www.coursera.org/learn/stem/

Durante o curso, os participantes terão a oportunidade de explorar algumas das áreas mais inovadoras do estudo científico e expandir o vocabulário e a proficiência na língua inglesa para suas carreiras profissionais. O curso ensinará como o método científico pode ser usado para explorar os impactos das mudanças climáticas, examinará pesquisas sobre fontes de energia alternativa e aplicações da nanotecnologia. No final do curso, os alunos terão uma melhor compreensão dos temas da área de STEM por meio de um projeto final sobre um experimento científico de sua escolha.

Para os participantes do Distrito Federal, a Embaixada dos EUA oferecerá duas aulas gratuitas e presenciais, nos dias 8 e 22 de junho, às 10h00, no Laboratório de Línguas do Bloco de Salas de Aula Norte da Universidade de Brasília. As aulas serão ministradas por nativos da Língua Inglesa e os alunos poderão tirar dúvidas, fazer atividades e exercícios relacionados ao conteúdo do curso. Vagas são limitadas e interessados devem se inscrever pelo link:  https://goo.gl/forms/IkP5oaPxJf15iPDk2.


Fonte:Release da Embaixada dos EUA enviado ao Brasilia In Foco.

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.