Embaixada do Chile e Instituto Cervantes inauguram exposição sobre artista chileno

A Embaixada do Chile e os Instituto cervantes inauguram a exposição sobre  Vicente Huidobro, “o poder criador da palavra” no dia 16 de maio. A abertura contou com um coquetel e um emocionante discurso do secretáro da embaixada do chile no Brasil .Para maiores informações,horários e datas de visitação da exposição entre em contato com o Instituto Cervantes.

.

 

Vida e obras:


Vicente García-Huidobro Fernandéz
 (Santiago do Chile10 de janeiro de 1893 — Cartagena2 de janeiro de 1948), mais conhecido como Vicente Huidobro, foi um poeta de vanguarda muito influente na poesia do século XX.

Considerado pelos chilenos como um dos seus maiores poetas na história, Huidobro teve, no entanto, uma carreira internacional, sendo o criador e expoente do Criacionismo, participando do grupo Cabaret Voltaire  e sendo essencial para a formação do que há de cosmopolita na lírica de poetas como Federico Garcia Lorca.

Mundialmente apontado como um dos quatro grande poetas do Chile, junto com NerudaDe Rokha e Mistral, Huidobro é, reconhecidamente, o mais inovador de todos e um dos maiores nomes da poesia mundial do século XX.

O nome Criacionismo (Creacionismo, em língua castelhana) deriva de um poema de Huidobro no qual ele pergunta aos poetas porque cantar a rosa, se antes deveríamos fazê-la florir no poema, comparando o poeta a um pequeno Deus. Além de ser o mentor deste movimento, em 1912 já havia publicado seu primeiro caligrama, sendo também considerado um dos precursores da poesia visual.

Sua obra mais aclamada é o poema Altazor o el viaje en paracaídas, “Altazor ou a viagem de pára-quedas”, sendo considerada uma das obras máximas das vanguardas latino-americanas ]

O seu manifesto “Nom serviam”, de 1914, é considerado por historiadores latino-americanos como o marco inicial das vanguardas no continente americano

icente García-Huidobro Fernandéz (Santiago do Chile10 de janeiro de 1893 — Cartagena2 de janeiro de 1948), mais conhecido como Vicente Huidobro, foi um poeta de vanguarda muito influente na poesia do século XX.

Considerado pelos chilenos como um dos seus maiores poetas na história, Huidobro teve, no entanto, uma carreira internacional, sendo o criador e expoente do Criacionismo, participando do grupo Cabaret Voltaire [1] e sendo essencial para a formação do que há de cosmopolita na lírica de poetas como Federico Garcia Lorca.

Mundialmente apontado como um dos quatro grande poetas do Chile, junto com NerudaDe Rokha e Mistral, Huidobro é, reconhecidamente, o mais inovador de todos e um dos maiores nomes da poesia mundial do século XX.

O nome Criacionismo (Creacionismo, em língua castelhana) deriva de um poema de Huidobro no qual ele pergunta aos poetas porque cantar a rosa, se antes deveríamos fazê-la florir no poema, comparando o poeta a um pequeno Deus. Além de ser o mentor deste movimento, em 1912 já havia publicado seu primeiro caligrama, sendo também considerado um dos precursores da poesia visual.

Sua obra mais aclamada é o poema Altazor o el viaje en paracaídas, “Altazor ou a viagem de pára-quedas”, sendo considerada uma das obras máximas das vanguardas latino-americanas 

O seu manifesto “Nom serviam”, de 1914, é considerado por historiadores latino-americanos como o marco inicial das vanguardas no continente americano . Fonte: Internet) 

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.