Embaixada da Noruega divulga elogios do Ministro do Clima e Meio Ambiente à política ambiental brasileira

O ministro do Clima e Meio Ambiente da Noruega, Espen Barth Eide, disse estar impressionado com a escala de medidas que foram implementadas durante os primeiros sete meses do ano.

A embaixada da Noruega no Brasil divulgou em suas redes sociais a fala de Eide: “O governo brasileiro está usando toda a caixa de ferramentas e já é possível ver os resultados desses esforços. A política ambiental do Ibama, juntamente com outras instâncias do poder, tem realizado uma série de operações para prender quem desmata ilegalmente, inclusive em territórios indígenas. Bancos e instituições financeiras se comprometeram a recusar crédito e empréstimos a proprietários de áreas recentemente desmatadas. E as autoridades estão muito focadas em contribuir para uma economia sustentável na Amazônia”.

A medição é realizada pelo sistema de monitoramento do Deter, do Inpe, que é atualizado constantemente. Os dados foram divulgados esta semana pelos Ministérios do Meio Ambiente e da Ciência e Tecnologia.

Espen Barth Eide disse ainda que “É importante que a população cuide das florestas mais importantes que restam no planeta. Se não conseguirmos fazer isso, simplesmente não será possível garantir um clima habitável no futuro”.

O ministro norueguês esteve no Brasil em março para discutir o fortalecimento da cooperação bilateral de clima e floresta com o governo brasileiro. Na ocasião, reuniu-se com a ministra do Meio Ambiente, Marina Silva. Na época, eles divulgaram uma declação conjunta, que incluía vários compromissos. Veja na íntegra aqui.

Atualmente, o Fundo Amazônia conta com R$ 3,1 bilhões. A Noruega é o principal doador, com 93,3% do total, seguida por Alemanha (6,2%) e a Petrobras (0,5%).

Compartilhe
Fabiana Ceyhan

Fabiana Ceyhan

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.