Egito recebeu 300 mil turistas desde reabertura

Estrangeiros estão visitando cada vez mais o país árabe desde que os voos foram retomados, em julho.

Cerca de 300 mil turistas de diversas nacionalidades visitaram o Egito desde a reabertura do turismo no país árabe, em julho. As informações são do jornal Egypt Today, com dados do governo.

O Ministro do Turismo e Antiguidades do Egito, Khaled el-Anani, disse nesta segunda-feira (05) que o alto número de visitantes prova que o país conseguiu trabalhar a retomada do turismo com segurança. “Quando me perguntam qual é a prova de que o Egito é seguro para turistas, digo que todos os 300 mil turistas retornaram a suas casas com segurança, sem casos de infecção por covid-19”, disse El-Anani ao jornal egípcio, confiante nos esforços do país para reanimar a indústria.

O ministro admitiu que o governo não previu o alto fluxo turístico em meio à pandemia global. O Egito tornou o teste PCR para a detecção da covid-19 obrigatório para todos os viajantes que desejam entrar no país árabe. A obrigatoriedade, segundo ele, fez o número de turistas cair 60%, de 6.600 para 2.400 por dia. Mas os números vêm se normalizando, segundo o ministro. Ele afirmou que o país recebeu cerca de três mil turistas por dia na semana passada.

Os voos internacionais para o Egito foram suspensos em março, quando o coronavírus foi oficialmente declarado uma pandemia. Mas em julho as viagens aéreas internacionais para turismo foram sendo retomadas gradualmente. Nesse ínterim, dezenas de milhares de egípcios foram repatriados pela EgyptAir e companhias aéreas afiliadas. Aeroportos em todo o Egito implementaram medidas de precaução para garantir a segurança dos viajantes.

Fonte: ANBA

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.