Covid-19 pela Europa: O desconfinamento e o incentivo ao turismo

Na Itália, os mais famosos pontos turísticos vão reabrindo ao público pouco a pouco, este fim de semana foi a vez da Torre de Pisa, quase três meses depois do encerramento.

O país, um dos mais afetados do mundo pela pandemia de covid-19, ainda registra por dia mais de 400 novas infeções e mais de 100 mortes.

Na República Checa, o Castelo de Praga abriu durante este fim de semana para incentivar o turismo, mas com limitações. Uma pessoa por cada 10 metros quadrados.

Na Polónia, a máscara não é obrigatória nas ruas, desde que a distância social seja mantida. O mesmo acontece durante os cultos religiosos, onde também já foi permitida a entrada de pessoas nas igrejas sem qualquer limite.

Em Portugal, o governo antecipou a vigilância em algumas praias do país, para sensibilizar os banhistas sobre as boas práticas de distancimaneto social.

E com o calor chegando, a Riviera italiana prepara medidas para o acesso público às praias, muitas vezes pequenas e com pouca capacidade.

O estado de emergência na Macedônia do Norte foi prolongado por mais duas semanas. O anúncio foi feito pelo presidente do país dos balcãs, depois da pandemia não ter mostrado sinais de abrandamento.

Em Bruxelas, Ursula von der leyen não fez ouvidos moucos à decisão dos EUA em terminar a relação com a OMS. A presidente da Comissão europeia pediu a Donald Trump para repensar a decisão.

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.