Como estão as viagens para brasileiros entre os países da Europa de trem, ônibus e avião

As fronteiras na Europa estão abrindo gradativamente. Alemanha, França, Suíça, Islândia e por último a Espanha já estão recebendo turistas brasileiros vacinados.  Esta é uma ótima notícia para os brasileiros que tanto aguardavam a retomada das viagens internacionais. Entretanto, há uma grande dúvida sobre as fronteiras internas no Espaço Schengen.

Para saber como elas estão funcionando e quais as restrições embarquei recentemente para uma viagem por quatro países e você pode ver todos os detalhes neste vídeo, no Canal do Melhores Destinos no Youtube: https://youtu.be/naC6K6Qrx4k

Durante 12 dias parti de Portugal e visitei a França, Bélgica, Dinamarca e Suécia. Em casa país encontrei uma peculiaridade relacionada às restrições impostas devido à pandemia de covid-19. Na França e na Bélgica as máscaras ainda são obrigatórias em ambientes internos e o certificado é pedido para entrar em restaurantes e atrações. Já na Dinamarca e na Suécia não há mais está obrigação.

Sobre os documentos, eu que moro em Portugal, viajei com o Certificado de Vacinação da UE. O documento digital foi pedido principalmente nos aeroportos e na chegada a Bruxelas de trem. Entretanto, o brasileiro que viaja para os países abertos da Europa para circular terão que portar passaporte, certificado de vacinação e ficarem atentos às regras de cada país. Veja nesse post como emitir o certificado de vacinação contra covid-19 no Brasil.

Vale destacar que a restrição dos países europeus está relacionada ao viajante que parte do Brasil e não ao portador de passaporte brasileiro. A maioria das regras internas proíbem a entrada de turistas que estiveram no Brasil nos últimos 14 dias. Sendo assim a circulação interna está baseada nesta restrições que você pode checar e se atualizar no site da Iata. É muito importante estar bem informado, saber se o destino escolhido exige algum complementar teste e ter sempre às mãos o seu certificado de vacinação.

Fonte: Melhores Destinos

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.