Brasil participa de evento de esculturas em Riad

São Paulo – Vinte artistas internacionais vão participar da segunda edição do Simpósio Internacional de Esculturas Tuwaiq, que ocorre no bairro diplomático de Riad, capital saudita, de 10 a 30 de janeiro. O Brasil participa pela primeira vez. Durante o evento, os escultores criarão obras originais feitas com mármore branco local, inspiradas pela montanha Tuwaiq, um dos marcos naturais mais famosos do país. As informações são do jornal saudita Arab News.

A Arábia Saudita será representada pelos escultores Essam Jameel e Faisal Al-Naaman. Os demais artistas são dos Estados Unidos, Reino Unido, Rússia, França, Japão, Grécia, Bulgária, Iraque, Itália, Espanha, Alemanha, Romênia, China, Taiwan, Geórgia, Egito, Tunísia e Brasil. Os nomes dos artistas internacionais não foram divulgados.

A primeira edição do simpósio de esculturas foi realizada em março de 2019, com a participação de 23 artistas (foto acima). A realização do evento é do Ministério da Cultura saudita.

De acordo com um comunicado à imprensa, o evento visa “proporcionar uma plataforma cultural em que artistas sauditas possam conhecer artistas de todo o mundo e estabelecer um sistema abrangente de empoderamento com o objetivo de enriquecer a cena cultural e artística do reino, apoiando artistas sauditas contemporâneos e novos talentos para alcançar o desenvolvimento sustentável para esse setor vital”.

Recentemente, um programa de residência artística no distrito de Al-Balad, em Jeddah, foi lançado também pelo Ministério da Cultura. O programa receberá artistas sauditas e internacionais, e foi criado para servir como um ambiente para o diálogo cultural e o intercâmbio de conhecimentos e experiências.

Fonte: ANBA

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.