Assista montagens clássicas e célebres apresentadas em teatros de Milão, Roma e Turim, no CineBrasília, com entrada gratuita.

Integrado à agenda cultural carioca, o Festival Ópera na Tela, em sua quarta edição, retornou ao Parque Lage no outubro passado, exibindo 12 óperas inéditas e recentes (2017/2018) em telão em uma tenda cristal ao ar livre montada especialmente para o evento.

O festival naceu para oferecer ao público a oportunidade de se emocionar com os maiores cantores do mundo e com a diversidade da melhor programação de ópera do país.

Graças a uma parceria entre o Festival e a Embaixada da Itália em Brasília, apoiadora institucional da iniciativa, entre 1° e 29 de abril o público brasiliense poderá assistir montagens clássicas e célebres apresentadas em teatros de Milão, Roma e Turim, no CineBrasília, com entrada gratuita.

Entre os destaques da programação está ‘Carmen’, dirigida por Valentina Carrasco, nas ruinas das Termas de Caracalla, em Roma. A argentina transpôs o drama passional vivido pela cigana que dá nome ao espetáculo e o soldado Don José para a fronteira entre o México e os Estados Unidos com o objetivo de refletir sobre a crise de imigração e debater questões contemporâneas.

Nessa edição, as obras Don Pasquale, Turandot e Andréa Chenier foram apresentadas pela primeira vez no âmbito do Festival.

PROGRAMAÇÃO das PROJEÇÕES:

1/04, às 20h – Andrea Chénier, de Umberto Giordano -Teatro alla Scala de Milão

8/04, às 20h – Carmen, de Georges Bizet – Teatro da Ópera de Roma/Caracalla

22/04, às 20h – Don Pasquale, de Gaetano Donizetti – Teatro alla Scala de Milão

29/04, às 20h – Turandot de Giacomo Puccini – Teatro Regio de Turim

Cine Brasília – Asa Sul, Entrequadra 106/107 – ENTRADA FRANCA

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.