A exibição do filme ¨Mulher Maravilha¨ é cancelada no Líbano

Autoridades ministeriais do  Líbano proibiram  a estreia do filme “Mulher Maravilha” nos cinemas nesta semana, o motivo foi que a atriz principal é israelense, afirmou  uma autoridade de segurança.

O Líbano considera Israel um país inimigo, e o Ministério da Economia e do Comércio  boicotam qualquer transação comercial envolvendo o Estado judeu.

Fontes da Imprensa Internacional  disseram  que o Ministério emitiu uma ordem para banir o filme, estrelado pela ex-soldado israelense Gal Gadot, baseado em uma recomendação do diretório da Segurança Geral.

A Warner Bros. na região disse que a produção deveria estrear oficialmente na maioria dos grandes cinemas de Beirute nesta semana mas as  sessões para o público foram canceladas com poucas horas de antecedência.

 Gal Gadot , foi Miss Israel  em 2004 e serviu ao exercíto israelense, em uma de suas postagens nas redes sociais a Atriz deu a seguinte declaração:
“Estou mandando o meu amor e reza aos meus compatriotas israelenses, especialmente aos meninos e meninas que estão arriscando suas vidas protegendo o meu país dos horríveis atos conduzidos pelo Hamas, que estão se escondendo atrás de mulheres e crianças feito covardes… Nós venceremos!!! Shabbat Shalom! #weareright #freegazafromhamas #stopterror #coexistance #loveidf”

Tudo isso provocou os ativistas de esquerda, conhecidos pela ferrenha defesa dos árabes da Palestina, principalmente frente às forças de Israel. desde então a atriz tem sido motivo de polêmicas devido ás suas posições políticas e religiosas , causando assim  uma aversão  ao filme Mulher Maravilha pelo  Líbano.

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.