“A Coreia está implantando, atualmente, a transição do distanciamento social para o distanciamento cotidiano”. Entrevista com o embaixador Kim Chan-woo

Kim Chan-woo
Embaixador da República da Coreia no Brasil

Entrevista exclusiva concedida á jornalista Fabiana Ceyhan

1-Como já se passaram alguns meses de pandemia, e a situação muda todos os dias, qual a atual situação da Coreia do Sul em relação ao Covid-19 hoje?
Qual o úmero de casos e medidas tomadas?

Após a ocorrência do primeiro infectado (20 de jan) na Coreia, o contágio da Covid-19 atingiu seu pico de alcance entre o final de fevereiro e início de março, período em que foram registradas diariamente centenas de novos casos confirmados. Desde 29 de fevereiro, o registro de novos casos começou a diminuir de forma permanente e, atualmente, chegamos a um nível de estabilidade. De todo modo, a autoridade sanitária coreana mantém-se continuamente em alerta para eventual surgimento de novas ondas de contágio. A partir de meados de março, o registro de doentes recuperados passou a ser maior que o de infectados e, em 11 de maio, verificou-se que mais de 88% dos enfermos estavam recuperados (dados de 11 maio: no. acumulado de (i) pacientes: 10.909; (ii) liberados da quarentena: 9.632; e (iii) óbitos: 256.

2. Recentemente vi em um site renomado que cientistas coreanos afirmaram que pessoas no país não foram infectadas mais de uma vez, o senhor tem essa informação?

O combate à Covid-19 na Coreia pode ser resumido pelo “3T” (do inglês Test, Trace e Treat – testar, rastrear, tratar). (i) Testar: mais de 20.000 testes por dia realizados. Com base nessa capacidade de testagem, passa-se a (ii) rastrear os contagiados, que são epidemiologicamente investigados de forma exaustiva. E, assim, passa-se a (iii) tratar os contagiados através do avançado sistema do serviço de saúde e do sacrifício e esforço dos profissionais da saúde, razão pela qual houve rápida recuperação dos infectados. Além disso, a Coreia, apesar da pandemia, foi o primeiro país a realizar eleições parlamentares, ocorridas em 15 de abril recente. Não houve nenhum caso de infecção em razão da realização dessas eleições. E, atualmente, a maioria dos pouquíssimos novos casos registrados é de casos importados.

* Com relação à pergunta sobre a possibilidade de reinfecção, não é possível responder pois necessita de mais estudos científicos a respeito dessa questão.

3. Existe um plano de volta a vida normal? Como seria?

A Coreia entrou, agora, na fase de preparativos para o período pós Covid-19. São dois grandes eixos a serem considerados: (i) Política de Saúde e (ii) Política de Recuperação Econômica. A Coreia está implantando, atualmente, a  transição do distanciamento social para o distanciamento cotidiano. Trata-se de uma reestruturação social e de hábitos, que harmoniza as ações de prevenção à Covid-19 com as ações de restrição, a fim de preservar a rotina diária da população e as atividades econômicas da sociedade. Concomitantemente, a fim de fazer frente a uma era de nova estrutura social e econômica no período pós Covid-19 e em prol da criação de empregos sustentáveis, está em planejamento a implementação do “New Deal da Coreia”, constituído por 3 grandes projetos, a saber: (i) a construção de infraestruturas digitais, (ii) promoção de uma indústria não presencial, (iii) a informatização do SOC (Capital Social Indireto), que proporcionará maior facilidade e segurança do dia-a-dia do povo coreano.

4. As escolas do país abrirão no mês de maio, o senhor poderia nos dizer como a Coreia pretende evitar o contágio nas escolas?

A Coreia está se preparando para, a partir de 27 de maio, reiniciar as aulas presenciais, que serão operacionalizadas por ano escolar, por escolas e por turno (matutino e vespertino), realizando alternância de aulas presenciais com aulas à distância (início preferencial aos alunos do 3º. ano do Ensino Médio em 20 de maio). Antes da reapresentação às escolas, os alunos deverão proceder ao auto exame de diagnóstico e registrar o seu estado de saúde. Nas escolas, o uso de máscaras será obrigatório, as salas de aula deverão ser reconfiguradas a fim de garantir o distanciamento mínimo de segurança entre os alunos, deverá ser providenciada maior circulação de ar do ambiente escolar, redefinir horários diferenciados para os intervalos, proceder à desinfecção rigorosa e frequente das maçanetas das portas das salas de aula, a fim de assegurar um ambiente seguro para a realização das aulas.

Considerações Finais

Por causa da Covid-19, a Coreia e todos os países estão trilhando um caminho jamais antes percorrido. A Coreia está se preparando, de forma cuidadosa e um pouco antes de alguns outros países, para o retorno ao cotidiano. No que se refere à Covid-19, acredito que esses esforços e preparativos despendidos pela Coreia poderão ser também um benchmarking em outros países.

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.