UNESCO e parceiros anunciam ações para lembrar 30 anos de Brasília como Patrimônio Mundial

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) e o governo do Distrito Federal anunciaram nesta semana em Brasília uma série de iniciativas para lembrar os 30 anos da inscrição da cidade na Lista do Patrimônio Mundial, assim como seu aniversário de 57 anos.

As ações, que serão realizadas ao longo de 2017 e 2018, incluem campanha para a despoluição visual do Plano Piloto e um programa de recuperação e modernização da rede de equipamentos culturais do Distrito Federal.

 

 

Brasília lembra 30 anos de inscrição em Patrimônio Mundial da UNESCO. Foto: EBC

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) e o governo do Distrito Federal anunciaram esta semana em Brasília uma série de iniciativas para lembrar os 30 anos da inscrição da cidade na Lista do Patrimônio Mundial, assim como seu aniversário de 57 anos.

Em parceria com o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), as iniciativas têm como objetivo promover e conservar o Patrimônio Cultural da Humanidade de Brasília.

O governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, anunciou durante coletiva de imprensa na quinta-feira (20) a logomarca comemorativa para a ocasião, assim como ações de promoção do patrimônio da cidade a serem realizadas ao longo de 2017 e 2018.

Na coletiva, também estavam presentes o secretário de Cultura do Distrito Federal, Guilherme Reis, a coordenadora de Cultura da UNESCO no Brasil, Patrícia Reis, e a presidente do IPHAN, Kátia Bogéa.

Entre as iniciativas anunciadas, está a campanha para a despoluição visual do Plano Piloto; a programação oficial de comemoração do aniversário de Brasília; um programa de recuperação e modernização da rede de equipamentos culturais do Distrito Federal; e a implementação de um roteiro de bicicleta e caminhada pela cidade.

Para Rollemberg, trata-se de “um conjunto de ações importantes que, articuladas, permitem que Brasília possa se utilizar cada vez mais da cultura e do turismo como instrumentos do desenvolvimento da cidade”.

A coordenadora de Cultura da UNESCO no Brasil, Patrícia Reis, complementou afirmando que a ideia é “fazer com que o cidadão brasiliense se sinta parte disso e compreenda a riqueza de um título do Patrimônio Mundial”.

Para ela, as ações resultam de um importante trabalho de articulação entre as diversas secretarias do governo do Distrito Federal, a UNESCO no Brasil e o IPHAN. A coordenadora reforçou que a ONU “insiste e recomenda esse trabalho integrado” entre os diversos responsáveis pela gestão do Patrimônio.

O secretário de Cultura do Distrito Federal, Guilherme Reis, disse que “o conceito do aniversário de Brasília está totalmente vinculado aos 30 anos de inscrição de Brasília, a capital, como Patrimônio Cultural, da cultura popular, fortalecendo a nossa identidade enquanto ser candango, enquanto ser brasiliense”.

Também está previsto o Seminário Internacional sobre Patrimônio Moderno e a exposição O “Brasil em Brasília – Mosaicos do Patrimônio Cultural”, que acontece de agosto a outubro, no Mezanino da Torre de TV, no Museu Nacional e no Foyer do Teatro Nacional, que será revitalizado. Essas ações também farão parte das comemorações dos 80 anos do IPHAN.

Brasília “é uma cidade que é o símbolo desse país e que tem referencial como o principal monumento modernista no mundo, tanto que foi reconhecido pela UNESCO como tal”, afirmou a presidente do IPHAN na ocasião.

A cidade foi inscrita na Lista do Patrimônio Mundial da UNESCO em 1987 por seu valor universal para a humanidade, reconhecido por ser um marco na história do urbanismo moderno do século XX. O planejamento de Brasília impressiona pela harmonia do projeto urbanístico de Lúcio Costa com as criações arquitetônicas de Oscar Niemeyer.