Relatório aponta que Ásia se torna vibrante hub global de inovação

A Ásia, particularmente a Ásia Oriental, está se tornando um dos mais vibrantes centros de inovação do mundo, com a China se destacando como uma grande promotora global da inovação, de acordo com um relatório divulgado na quarta-feira pelo Fórum Boao para a Ásia (BFA, na sigla em inglês).

As capacidades de tecnologia e inovação têm sido propagadas dos países desenvolvidos para os em desenvolvimento, notadamente a China e os países do Sudeste Asiático, cujo progresso notável nesta frente é igualado apenas por seu investimento, revelou Relatório de Inovação 2020 do fórum.

Hubs e cidades mundiais de inovação também tendem a se reunir, com a inovação sendo mais ativa na Europa Ocidental, América do Norte e especialmente na Ásia Oriental, disse.

A China está se tornando mais inovadora, informou o relatório, citando o Índice Global de Inovação da Organização Mundial da Propriedade Intelectual, segundo o qual, tanto em 2019 quanto em 2020, a China ficou em 14º lugar, tornando-se a única economia de renda média que ficou entre os 30 países mais inovadores.

O secretário-geral da fórum, Li Baodong, atribuiu o notável progresso da China ao seu apoio de cima para baixo por meio de políticas sólidas e consistentes, iniciativas de baixo para cima por empresas dinâmicas, bem como melhores capacidades de inovação facilitadas pelo desenvolvimento orientado internacionalmente e pela globalização.

“A China tornou-se um grande promotor global da inovação que está gradualmente mudando o foco de quantidade de inovação para a qualidade e o impacto da inovação”, disse Li.

As economias asiáticas estão atribuindo importância estratégica e investindo em inovação, e a Ásia-Pacífico tornou-se o maior mercado mundial para indústrias culturais e criativas, mostrou o relatório.

Enquanto isso, as cidades asiáticas estão competindo para se tornarem centros de inovação, observou. De acordo com o Nature Index 2018 Science Cities, um suplemento da revista científica Nature, em apenas um ano, o número de centros de inovação na China cresceu de 7 para 18.

O relatório também destacou nove tecnologias com maior potencial e mais promissoras perspectivas de aplicação na Ásia: inteligência artificial, 5G, robôs industriais, cadeias de suprimentos inteligentes, tecnologia de pagamento móvel, novas tecnologias de varejo, tecnologia biomédica, tecnologia de energia digital e tecnologia de governança ambiental.

Fonte: Xinhua

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.