Presidente Tokayev fortalece os poderes do Conselho de Investimentos para impulsionar o crescimento econômico

O presidente do Cazaquistão, Kassym-Jomart Tokayev, assinou um decreto histórico em 4 de dezembro sobre medidas para aumentar a eficiência da atração de investimentos para a economia do Cazaquistão e acelerar o crescimento econômico, informou o serviço de imprensa Akorda. O decreto descreve um plano abrangente para capacitar o Conselho de Promoção de Investimentos (Sede de Investimentos) com autoridade sem precedentes.

Conforme estipulado no decreto, o Conselho de Promoção de Investimentos terá o poder de tomar decisões vinculantes sobre órgãos e entidades do governo central e local no setor para-público. Além disso, o Conselho tem o poder de desenvolver atos legais regulatórios temporários com força de lei, complementando os esforços do governo para criar um ambiente favorável ao investimento.

De acordo com o Kazinform, esse decreto é uma continuação da política econômica do presidente Tokayev, conforme descrito em seu discurso para  o povo em setembro. Essa política se concentra em reformas econômicas, diversificação, políticas fiscais transparentes e práticas de gestão equitativas.

Kassym-Jomart Tokayev tem demonstrado consistentemente uma abordagem proativa para atrair investimentos estrangeiros e fortalecer os laços econômicos em todo o mundo. Ele frequentemente se envolve em reuniões com investidores, tanto nacionais quanto estrangeiros, especialmente durante visitas oficiais ao exterior. Um exemplo recente desse envolvimento diplomático ocorreu durante a Conferência das Partes da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP28) em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos (EAU). Lá, Tokayev se reuniu com o Ministro de Investimentos dos Emirados Árabes Unidos, Mohammed Al-Suwaidi. Durante a conversa, eles exploraram a possível colaboração em projetos conjuntos entre a Presight AI Holding dos EAU e o Fundo Soberano Samruk-Kazyna, bem como acordos estratégicos envolvendo a QazaqGaz e a Kazakhstan Temir Zholy com foco em inteligência artificial. No total, o Cazaquistão assinou 20 acordos com empresas estrangeiras no valor de US$ 4,85 bilhões em energia verde, infraestrutura e digitalização nos bastidores da COP28. O aprimoramento da política de investimentos reflete um componente essencial da estratégia econômica mais ampla de Tokayev.

Andrey Chebotarev, autor do canal Finance.kz Telegram, elogiou a iniciativa do presidente. “Com a necessidade de modernizar o sistema de energia, buscar planos ambiciosos de industrialização e manter uma política monetária rigorosa, o Cazaquistão precisa urgentemente desses investimentos”, disse ele.

Os poderes reforçados da Sede de Investimentos fazem parte de uma estratégia mais ampla para melhorar o clima de investimentos no Cazaquistão. As recentes alterações no Código Tributário e as mudanças correspondentes no Decreto do Governo sobre Apoio Estatal para Investimentos já proporcionaram aos investidores maior flexibilidade na escolha das direções de investimento e na promoção da participação ativa em vários setores da economia.

A Sede de Investimentos recebeu autoridade para propor ações disciplinares, incluindo a demissão de chefes de órgãos governamentais e entidades do setor para-público por não conformidade com suas decisões. Essa supervisão aprimorada tem o objetivo de garantir o cumprimento rigoroso das iniciativas de investimento e reforçar a confiança dos investidores.

Chebotyrev enfatizou a necessidade de emendas legislativas apropriadas, declarando: “Os investimentos ocorrem quando os investidores têm firme confiança na conclusão bem-sucedida de todos os planos e projetos. Os investimentos sempre significam novos empregos, novos conhecimentos e novas tecnologias. Essas são novas oportunidades para os cidadãos do país”.

De acordo com o World Investment Report 2023, publicado pela Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento, o Cazaquistão registrou um aumento de 83% nos fluxos líquidos de investimento estrangeiro direto (IED), atingindo US$ 6,1 bilhões, apesar de uma queda acentuada nos fluxos de investimento global em 2022. O Cazaquistão é líder na atração de IED entre os países pós-soviéticos da Ásia Central, garantindo uma participação de 61%.

Chebotyrev aponta para dados do Banco Nacional, ilustrando um fluxo constante de IED para a economia do Cazaquistão. Especificamente, em 2021, o número chegou a US$ 23,8 bilhões, ultrapassando US$ 28 bilhões em 2022 e registrando US$ 13,3 bilhões no primeiro semestre de 2023. De acordo com o especialista, esses investimentos são predominantemente direcionados para a extração de matérias-primas.

Chebotyrev aponta para dados do Banco Nacional, ilustrando um fluxo constante de IED para a economia do Cazaquistão. Especificamente, em 2021, o número chegou a US$ 23,8 bilhões, ultrapassando US$ 28 bilhões em 2022 e registrando US$ 13,3 bilhões no primeiro semestre de 2023. De acordo com o especialista, esses investimentos são predominantemente direcionados para a extração de matérias-primas.

“Analisando os números de 2022, o setor de petróleo e gás garantiu a maior parte, atraindo US$ 9,6 bilhões em investimentos. A metalurgia veio em seguida, com pouco mais de US$ 4 bilhões, enquanto o setor de eletricidade recebeu US$ 635,6 milhões e o setor de produção de alimentos e bebidas obteve uma soma mais modesta de US$ 177,9 milhões”, escreveu ele.

Nesse sentido, o decreto do presidente tem como objetivo redirecionar os investimentos para setores-chave, especialmente o de manufatura, para garantir o desenvolvimento sustentável da economia. Espera-se que as medidas descritas no decreto simplifiquem os processos de tomada de decisão, promovam a responsabilidade e criem um ambiente de investimento mais favorável para investidores nacionais e estrangeiros.

Compartilhe
Fabiana Ceyhan

Fabiana Ceyhan

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.