“O mundo espera do G20 soluções duradouras”, diz ministro Mauro Vieira

Presidência brasileira ao Grupo busca consenso e soluções aos desafios globais sociais, ambientais e econômicos

Com autoridades das maiores economias do mundo, 19 países mais União Africana e União Europeia, além dos oito países convidados, encerrou-se, nesta terça-feira (12), a primeira reunião da Trilha de Sherpas do G20 Brasil. Centrada em discutir os métodos de trabalho do Grupo e as prioridades propostas pelo país em seu mandato, a reunião, que durou dois dias, contou com a participação do ministro das Relações Exteriores, Mauro Vieira, que fez uma declaração aos sherpas.

“Não planejamos resolver os problemas do mundo. Nosso plano é apresentar um conjunto de bons pontos de partidas”, pontuou o ministro das Relações Exteriores do Brasil, durante o segundo e último dia da primeira reunião da Trilha de Sherpas do G20 no país.

Em sua fala, sobre os desafios mundiais em um momento de crises sobrepostas, o ministro destacou os três objetivos da presidência brasileira (inclusão social e combate à fome; transição energética e desenvolvimento sustentável; e reforma das instituições de governança global) e salientou a intenção do Brasil em fomentar a participação social no processo do G20. Em novembro de 2024, antes da Cúpula final, entre chefes de Governo e Estado, ocorrerá a primeira Cúpula Social do G20.

Ademais, Mauro Vieira enfatizou a proposta brasileira em entrelaçar os trabalhos das duas trilhas, Finanças e Sherpas, em um entendimento que discussões políticas e coordenações macroeconômicas não são questões apartadas. Mais um objetivo inédito tomado pela presidência brasileira.

“Trabalharemos para construir um consenso dentro do Grupo, ouvindo todos os membros e buscando o mais alto nível de ambição para que o G20 produza resultados”, colocou o ministro.

Reunião conjunta: Trilhas de Sherpas e de Finanças

O primeiro ciclo de reuniões do G20 Brasil começou na segunda-feira (11) e vai até sexta-feira (15), em Brasília, no Palácio do Itamaraty, contemplando a Trilha de Sherpas e a Trilha de Finanças, que, neste ano, devem entrelaçar seus trabalhos. As reuniões contam com representações dos 19 países do grupo e das uniões Africana e Europeia.

Na quarta-feira (13), está prevista a presença do presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva, na reunião conjunta de sherpas, vice-ministros das Finanças e vice-presidentes de bancos centrais do G20. Nos dias seguintes (14 e 15) ocorre a reunião da Trilha de Finanças, para alinhamento dos trabalhos.

Após este primeiro ciclo, as próximas reuniões do G20 estão previstas para o ano que vem, 2024, na segunda semana de janeiro, por videoconferência.

As informações são do G20.org.

Compartilhe
Fabiana Ceyhan

Fabiana Ceyhan

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.