O Brasilia in Foco apresentará toda semana um aspecto da cultura do Vietnã -confira a hoje a sessão de Gastronomia

 

 

O Embaixador do Vietnã Do BA Khoa  e a equipe da Embaixada reuniu nesta semana um grupo de Jornalistas especializados em matérias internacionais , entre eles, Fabiana Ceyhan, Liz Lobo, Milton Atanázio, Oda Paula Fernandes a fotográfa Eliane Loin e outros. Também estavam presentes alguns agentes de turismo e o motivo principal foi apresentar o “Novo vietnã” (termo usado pelo Embaixador para descrever o seu país). Segundo o seminário e a rica apresentação o país vive uma nova fase, se tornando mais próspero, com um baixo índice de criminalidade e uma segurança muito boa para os turistas, além de possuir belas praias e uma enorme costa a ser explorada pelo turismo a preços muito acessíveis, quando comparados a moeda brasileira,o real . Diante do vasto material apresentado, a nossa equipe decidiu postar toda semana um ponto forte do país e hoje daremos atenção especial á gastronomia Vietnamita. Aos  convidados recepcionados pelo Embaixador foi servido um almoço com as delicias da culinária do país.

VISÃO GERAL

9 características da cozinha vietnamita: (Fonte: Embaixada do Vietnã no Brasil)

  •  Harmonia e diversidade
  •  Baixo teor de gordura
  • Aroma e textura inigualaveis
  • Diversidade de Ingredientes
  •  Saudável e delicioso
  • Uso de hashis
  • Interação social entre grupos
  •  Hospitalidade
  •  Como o Vietnã é um país muito longo e que faz fronteira com três diferentes países, Laos, Cambodja e China, a cultura e culinária do país muda muito entre as regiões, fazendo desse lugar um país incrível e com muito a oferecer.Antes de falar sobre a culinária vietnamita, preciso ensinar algumas palavras básicas para ajudar a pedir uma comida. – bife – frango – peixe

    Lợn – carne de porco

    Tofu – đậu hũ (essa não é uma opção muito popular)

Culinária Vietnamita

A culinária pode ser dividida em 3 culinárias regionais : a do Sul (à base de ervas frescas e pratos tropicais bastante elaborados), a do Centro (com tendência a ser mais condimentada, e em que se utiliza muito o pimentão e a pasta de camarão) e a do Norte (bastante parecida com a cozinha chinesa, com o uso frequente de vegetais em conserva em vez de ervas frescas, cogumelos e outros fungos e pimenta preta em vez de pimentão para temperar). A Xalach Dia (salada de ervas frescas com soja e bambu) é servida como acompanhamento de quase todas as refeições, temperada por quem come. O almoço tipicamente vietnamita é composto por taças de Pho (sopa quente), com pão, soja e de outros vegetais, assim como tiras de galinha, porco ou vaca. Os molhos e condimentos vietnamitas são extremamente variados. O mais conhecido é o Nuoc Mam ou Nuoc Cham (molho de peixe salgado diluído em sumo de lima ou vinagre e com um toque de açúcar). Existem outros molhos para temperar os pratos como o Nuoc Leo (molho de amendoim), o Tuong Ot (molho de pimentão picante) e o Mam Tom (molho acre de camarões).

O Pho, sopa com macarrão oriental, é o prato mais famoso no Vietnã e pode ser encontrado em todo o país. É uma sopa bem simples, mas cheia de sabor. Basicamente consiste de macarrão de arroz oriental, caldo, ervas, vegetais e uma carne (geralmente frango ou bife). Os ingredientes são sempre bem frescos e cozinham aos poucos no próprio prato. Os ingredientes são colocados frescos num prato fundo e o caldo bem quente é adicionado por cima e as ervas são servidas separadamente, assim, você pode temperar a seu modo.

Os rolinhos primavera vietnamitas são feitos com uma massa de arroz, então é tudo sem glúten e repleto de legumes e vegetais coloridos ou como preferir, os mais exóticos são o vermicelli e os papéis de arroz. É possível encontrar ambos, facilmente, em armazéns de comida asiática em São Paulo.

O vermicelli é um macarrão a base de arroz que é muito usado para fazer o prato harusame, e os papéis de arroz (normalmente vem escrito em inglês na embalagem – rice paper) antes de aquecidos em água parecem uma tela translúcida.

O Cao Lau, macarrão oriental com porco, é um dos melhores pratos do Vietnã, mas infelizmente não é servido em nenhum lugar exceto na cidade de Hoi An, na região central do país. Esse prato consiste de barriga de porco frito, vegetais, ervas, caldo, macarrão oriental especial da região e por cima um tipo de salgadinho retangular frito feito com a massa de macarrão.

Bánh mì é um tipo de sanduíche muito popular entre os vietnamitas, principalmente no sul do país onde houve uma grande influência francesa. É uma comida barata e muito gostosa.

Bun Chá, que é uma carne de porco ou boi feita na grelha, servida com vermicelli de arroz e ervas. Pega-se um pouco de tudo, rega-se num molho doce, salgado e levemente picante (o nuoc cham) e voilá!

Outra opção que se encontra aos montes é o Bahn Mí –e, neste caso, obrigada franceses, por deixarem as baguetes mais crocantes que já comemos na vida. Sério: nos lugares mais toscos, as barraquinhas mais pequenas, a baguete são sempre fresquinhas, casca crocante, massa densa. Incomparável com o “pão francês” que temos por aqui: o pão do Banh Mí vietnamita é  perfeito.

Segundo as nossas fontes,comer no vietnã é um prazer bem mais barato do que comer no Brasil,e a gastronomia é um dos pontos fortes que mais atrai turistas, comer bem e por preços acessíveis é mesmo uma aventura inesquecível para os amantes da boa culinária.Lembramos também que os locais comem com palitos os famosos hashis e garfo e faca não são exatamente a melhor maneira de fazer uma refeição por lá.

Gastronomia,Turismo,História,Religião,são tantos aspectos culturais que compõem este maravilhoso país, sendo assim, confira em breve  nossa matéria sobre o turismo no Vietnã com o auxílio de  colunistas que visitaram pessoalmente e tem muitas dicas para  contar!

 

 

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.