Nota do Governo brasileiro sobre o terremoto no japão e informações adicionais

 Nota do Governo Brasileiro:

O governo brasileiro lamenta o terremoto ocorrido na manhã de hoje, na cidade de Osaka, no Japão, que causou perdas humanas, deixou grande número de feridos e provocou sérios danos materiais. Até o momento, não há registro de brasileiros vitimados pelo sismo.

Ao transmitir suas condolências aos familiares das vítimas, o governo brasileiro manifesta sua solidariedade ao povo e ao governo do Japão.

O Núcleo de Assistência a Brasileiros do Itamaraty pode ser acionado pelos telefones +55 61 2030 8803/8804 (das 8h às 20h) e + 55 61-98197-2284 (Plantão Consular, das 20h às 8h) e pelo e-mail dac@itamaraty.gov.br.

Os contatos acima destinam-se exclusivamente a emergências

 

————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————————- Informações sobre o que aconteceu

Com a ocorrência do terremoto de magnitude 6,1 com epicentro ao norte da província de Osaka, às 7h58 de segunda-feira (18), incontáveis perdas e danos humanos e materiais ocorreram. Também o cotidiano da população foi afetado, sendo que mais de 1,7 mil pessoas passaram a noite nos abrigos.

No total foram registrados mais 27 tremores até as 13h de terça-feira (19), sendo um deles de intensidade 4, aos 31 minutos da virada da noite. A tensão continua em Osaka e nas províncias vizinhas.

De acordo com informações do Corpo de Bombeiros foram registradas 4 mortes e há 376 pessoas feridas.

Transporte no local:

Os trens foram os primeiros a interromper as operações por causa do forte terremoto, assim como as linhas do shinkansen. Passageiros tiveram que descer e caminhar ao lado das linhas férreas, bem no horário de pico. Na volta, as avenidas e ruas ficaram congestionadas com os carros e trabalhadores voltando a pé, pois as filas nas estações de trem eram imensas. Táxis rodaram sem parar. Os trens e shinkansen voltaram a operar a partir da manhã de terça-feira

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.