Moscou registra maior nevasca desde 1973; veja fotos

Colapso do tráfego, montes de neve gigantescos e um conto de fadas de inverno.

Desde a noite de sexta passada (12), Moscou testemunha fortes nevascas, que já duram três dias sem parar. Algo assim não acontecia desde 1973, com níveis de neve chegando a 59 cm – apenas um centímetro a menos do registro histórico absoluto.

Onde normalmente se veria carros estacionados, agora só há montes de neve. Antes de ir a qualquer lugar, os motoristas devem primeiro localizar seus veículos e depois desenterrá-los da neve. 

Os serviços municipais não estavam prontos para lidar com uma nevasca de tamanha magnitude.

As autoridades da capital já informaram aos moradores que a limpeza completa das vias levará cerca de oito dias.

Alguns dos montes de neve atingiram a altura de dois adultos (russos, que costumam ser altos!). Em alguns lugares, as calçadas ficaram novamente cobertas de neve apenas cinco minutos depois da máquina de remoção terminar de limpar o local.

As janelas de alguns edifícios ficaram quase totalmente cobertas. “Passei uma hora limpando toda aquela neve do peitoril da janela, devia ter uns 30 cm”, escreveu uma usuária do Twitter.

No centro da cidade, a situação não era muito melhor.

Montes de neve de quase dois andares de altura se formaram nas principais ruas da capital depois que as equipes de limpeza terminaram de limpar as vias.

Algumas pessoas tiveram que abandonar seus carros e seguir a pé, para evitar engarrafamentos de quilômetros de extensão. O aplicativo de mapa do Yandex marcou o tráfego com 10 pontos (dos dez possíveis e geralmente muito raros) durante o dia todo.

Os aeroportos de Moscou também foram paralisados ​. Dezenas de voos acabaram sendo cancelados, e outras dezenas atrasaram.

“Mas, ei, está lindo!” – todos ainda pareciam pensar. Durante o fim de semana, os moradores da capital não se cansaram de tirar fotos do conto de fadas de inverno em que de repente se viram.

Fonte: Russia Beyond

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.