Líderes militares brasileiros e norte-americanos enfatizam parcerias em treinamento conjunto

Durante a Segunda Guerra Mundial, o Brasil foi o único país sul-americano a contribuir com tropas para a causa aliada, e 75 anos depois, o Exército Brasileiro se tornou o primeiro exército sul-americano a enviar tropas para treinar no Centro de Treinamento de Prontidão Conjunto (JRTC, sigla em inglês).   

Líderes militares seniores dos EUA, incluindo o almirante Craig S. Faller, comandante do Comando Sul dos EUA, general Michael X. Garrett, comandante do Comando das Forças Armadas dos EUA, major-general Daniel R. Walrath, comandante do Exército Sul dos EUA e major-general Christopher Donahue, comandante da 82ª Divisão Aerotransportada, reuniram-se com altos líderes militares brasileiros, incluindo o ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, nos dias 1 e 2 de fevereiro, no JRTC.  

“O treinamento realizado por paraquedistas norte-americanos e brasileiros nos EUA é uma marca da força contínua da relação bilateral e de uma história de respeito entre nossas forças armadas”. Como as duas maiores democracias do Hemisfério Ocidental, compartilhamos um compromisso com a segurança de nossos povos e com a preservação desses princípios sobre os quais nossos países se baseiam”, disse o embaixador dos EUA no Brasil, Todd Chapman.

A participação do Exército Brasileiro, no JRTC, é o evento culminante de um plano de cinco anos desenvolvido durante as conversas de Estado-Maior entre Exército-Exército. O Programa de agenda de Staff Talks promove esforços bilaterais para desenvolver parcerias profissionais e aumentar a interação entre os Exércitos das nações parceiras.   

“A presença e participação dessa companhia aerotransportada brasileira em um dos centros de treinamento de combate do Exército representa a primeira vez que um exército parceiro da América do Sul participa de uma dessas rotações”, disse o major-general Walrath. “Esta é uma continuidade de 75 anos de história juntos, certamente um marco histórico que vemos como apenas uma continuação de nossa parceria cada vez maior.”   

Os líderes militares brasileiros receberam uma missão do JRTC e um briefing de capacidades, um sobrevoo pela área de treinamento conhecida como “a caixa”, onde os soldados são expostos a condições e situações para combater uma força inimiga, e observaram uma operação aérea de linha estática noturna pela 82ª Divisão Aerotransportada para a área de treinamento.   

“O ambiente de treinamento no JRTC é incomparável a qualquer centro de treinamento de outro país – a única coisa mais difícil é o combate real”, disse Walrath. “A parceria com o Exército dos EUA oferece as melhores oportunidades para aumentar a prontidão e a interoperabilidade para enfrentar os desafios de segurança compartilhados.”   

Ao solidificar a parceria entre o Exército Sul e o Exército Brasileiro, Walrath e o general-de-brigada Marcos de Sá Affonso da Costa, chefe de treinamento do Comando de Treinamento de Forças Terrestres do Exército Brasileiro, assinaram um acordo técnico (não vinculativo), que prevê as funções e responsabilidades das unidades participantes ao longo da duração da rotação JRTC.   

Essa rotação representa a primeira troca de unidades com o Exército dos EUA que se prepara para enviar uma companhia da 101ª Divisão Aerotransportada para treinar, em novembro de 2021, com as forças brasileiras no Brasil, como parte da Vanguarda Do Sul – um exercício para treinar cooperação de prontidão e segurança.  

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.